quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Sobre meninas e begônias

Amanhecer junto com o dia é sempre ruim... um torpor do corpo, aquele fica não fica, um relógio que nunca quer tocar dentro de você e outro que insiste em funcionar ali no seu criado mudo (nome legal esse =).

Outra coisa difícil... mais no sentido de estranhamento, é amanhecer sem ninguém ao seu lado. Muitas vezes eu penso se ninguém acorda ao meu lado por que ninguém se dispõe a tanto ou se minha cama é pequena mesmo e dormir em dois não seria nada senão um espetáculo de contorcionismo.

Há um homem num poema que fuma um cigarro, toma um café que ele mesmo preparou (manoel bandeira?)...Eu...menos melancólico, certamente, por que se eu colocasse um chopin ao fundo seria trágédia, e não um post de blog que eu, no alto do meu bom senso, postaria.


Ao certo, só que begônias não florescem o ano todo e, ao menos que vc tenha uma estufa, nem sempre você vai poder ter uma num vaso.... ali, na sua janela...


=)

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Ryan Larkin - um gênio em sua arte

vocês já já ouviram falar em Ryan Larkin?

Ryan era um "animador" canadense muito talentoso. Seus filmes são muito bem feitos, dando uma mostra da sua genialidade. Toda essa criatividade veio seguida com o vício em cocaína e outras drogas, o que fez com que ele caísse no fundo do poço e passasse boa parte dos seus últimos anos de vida morando nas ruas.


Pra começar a contar a história dele direito, o melhor a se fazer é ver o filme abaixo (que não é dele)



É uma espécie de filme-homenagem.


Abaixo, temos um dos primeiros vídeos que lhe deram fama (e que quase lhe rendeu um oscar)




Um pouco excêntrica a idéia de desenhar as pessoas andando. Eu confesso que ainda não consigo digerir bemo filme inteiro, embora ache algumas partes extremamente bonitas.

O próximo é o que eu mais gosto...o que está no meu top 5 das melhores animações que eu já vi na vida. Talvez por que não seja só uma animação, com começo meio e fim, mas uma forma de arte, com desenhos lindos (tudo feito à mão!!! Incrível!!!)





O site da National Film Board of Canada, que eu desconhecia até  hoje de manhã, possui o trabalho de todos os artistas financiados por eles online!!!! \o/
Acho mto legal da parte deles fazerem isso, e consegui os vídeos que coloquei aqui hoje no site deles.

Espero que vocês gostem

=)

sábado, 26 de dezembro de 2009

Contos natalinos (em 110 V )

Manhã na residência dos Fontoura Aguiar, uma família abastada e influente na sociedade brasileira. Uma leve e suave brisa permeia o ambiente.

O senhor Fontoura Aguiar dorme.
A senhora Fontoura Aguiar dorme.
Os filhos do casal Fontoura Aguiar dormem.
Os animais da família Fontoura Aguiar dormem

Os empregados já estão de pé


Os eletrodomésticos da mansão nobre, num bairro igualmente nobre de uma cidade industrial, olham uns para os outros. No meio deles, uma torradeira e um moedor de café (rústico, herança de antepassados remotamente remotos).

O moedor de café, no auto de sua sabedoria rústica e clássica, pergunta para a torradeira, um eletrodoméstico pujante, comprado em um grande magazine havia poucos meses



O natal...ahhhh o natal. O que será que eles querem dizer com isso, senhor torradeira? Me pergunto, ahh sim, me pergunto...

Os dias que passam não são iguais uns aos outros, doutor moedor

Mas todo dia oque faço logo ao acordar é moer os grãos que tanto agradam esta sagrada refeição matinal!!!...e todos os cafés da manhã são os mesmos: a mesa está lá, os pães que vc torra...e tirando um detalhe ou outro, não me parece diferente. O que o natal traz em si que faz com que todos ajam diferente?

Diferente como: o jeito que te tocam? As pessoas continuam a me colocar na tomada do mesmo jeito, os farelos de pão continuam a me fazer cócegas por dentro e...... mas de fato, queimo menos pães por conta desse pão panetone, que eles insistem em comer sem torrar....

[Um empregado entra na cozinha]
[O doutor moedor cochicha para o senhor torradeira, embora a linguagem dos eletrodomésticos seja ininteligível para os seres humanos]

Será que é por causa das passas?

Que passas?

Então, o que se passa é isso mesmo, eles não queimam o panetone, e isso é o que faz o natal uma época diferente. Aparecem essas tais de passas lá no meio, e elas não gostam de ser queimadas. Acho que natal é isso.

[A torradeira faz uma cara de reflexão, o que insiste em girar levemente o seu botão de intensidade de torragem do 1 para algo entre 1 e 2]
[O doutor moedor prossegue no seu discurso e não se dá conta dessa leve alteração no semblante do senhor torradeira]

Vc tem as mesmas coisas, falo do pão na verdade, mas talvez seja mais que isso...enfim, vc tem as mesmas coisas, repete elas o ano inteiro, e quando chega no fim dele, vc pára, pensa, põe uns detalhes a mais pra não parecer que o ano inteiro vc fez a mesma coisa, e vende mais caro..na verdade, não é bem vender, vc continua acordando e fazendo as mesmas coisas, mas acha que é diferente...

Por causa das passas?

Não, do Natal

Mas pra vc o natal não é só esse adicionalzinho, com passas?

Não, natal é o que passou com um gosto diferente. É o pão do ano inteiro com passas dentro

Mas este é o panetone!!

Eu estava dando um exêêêêmplooooo sêo torradeira Quer ver? Oque o senhor faria se lhe colocassem para torrar um panetone?

Acho que..não sei... tentaria fazer cair dentro de mim uma passa. Mas não sei se a passa passa pela minha resistência...

..será que passa?

Passa...passa sim...

...mas ia fazer diferença?

Oque? Passar?

É... tudo isso...

Olha..pra falar a verdade não sei...acho que ia ser a mesma coisa.

É.... talvez vc tenha razão.... e no fundo no fundo, eles te vendem algo que vc já possuía o ano inteiro....

Incrivel ?

Ô..esse pessoal é meio burro, sempre achei mesmo

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Um guarda-chuva furado

Hoje descobri que temo,
mais que tudo,
acima de tudo mesmo,
a loucura,
que permeia nosso mundo.

E por loucura,
que não se entenda ( faço a maior das resalvas),
o mundo "caótico" que nos cerca
e cheio de coisas loucas,
como alguns gostam de dizer.

O que temo é a loucura
a que vive nos corações e cabeças
dos homens que andam pelo mundo...
e que algum dia ela venha,
bata à minha porta,
entre no meu jardim
e esmague todas as flores que ali crescem

..que se instale na minha cama
e me deixe a dormir no sofá
Que roube da minha carteira
meus cartões de crédito, meu dinheiro
e a foto dos filhos que ainda não tenho

Que roube minha identidade e incendeie minha casa

domingo, 20 de dezembro de 2009

Re-historiando cambises

Italianos dizem ter encontrado tropas de Cambises II, sepultadas no deserto do Sara há 25 séculos. Egipto diz que o achado é falso

O anúncio da descoberta de um exército composto por 50 mil homens que foram engolidos vivos por uma tempestade de areia, no deserto do Sara do Egipto, há 25 séculos, está a gerar polémica. De um lado, os arqueólogos italianos anunciaram que encontraram pontas de flecha, braceletes e pendentes que pertenceriam ao exército do rei persa Cambises II. Mas Zahi Hawass, chefe da arqueologia egípcia, qualificou esta descoberta de "infundada e enganosa", acrescentando que os italianos não tinham tido permissão para escavar.

Os indícios são poucos e questionáveis e a descoberta dos objectos persas - se for realmente este o caso - não prova por si só que tenham pertencido ao exército perdido: os persas dominaram o Egipto durante mais de século, realizando diversas expedições até à zona onde foram encontradas as peças.

Mas os irmãos Angelo e Alfredo Cartiglioni, que lideram a expedição, argumentam com o facto de estas peças terem sido descobertas num refúgio natural na rota indicada pelo historiador Heródoto, que o exército teria seguido: partiram de Tebas pelos oásis em direcção ao Norte. Depois viraram para Oeste, para surpreender os Amónios, até à meseta de Gilf Kebir, onde teriam sido enterrados por uma tempestade de areia.

[O globo - 28 de novembro de 2009]




No começo eu achei que fossem devaneios do meu avô, senilidade mesmo... nem comentava com a minha mãe para não chateá-la. A loucura, quando bate à sua porta, é deprimente. Mas ter confirmado esta hitória foi, para mim, um choque.
Meu avô sempre dizia que quando era criança havia um governante que tivera grandes idéias, que manteriam o seu nome na eternidade. Para isso ele sempre tentava criar coisas enormes, grandiosas, como uma torre gigante feita em madeira e gelo, ou um carrossel todinho esculpido em marfim. Como nada disso foi o bastante, e mesmo as pessoas ja pensavam em ignorá-lo, imaginando logo quem o sucederia no trono, ele começou a parar de pensar nos seus súditos e passou a planejar coisas mais além. Com
eçou por pagar escritores para que estes relatassem fatos que, na verdade, não haviam acontecido: guerras que ganhara, reis que decapitara, e outras coisas do tipo. Ante ao questionamento que isso haveria de causar e das piadas de butiquins que já lhe rolavam pelo reino, ele pensou em não misturar mais os outros nas suas histórias e glórias...haveria de ser só ele, ele e seu povo persa, a triunfar.

Partindo dessa idéia, ele resolver então inventar pontes sobre rios que nunca foram construídas e jogar escombros no fundo d'água, criar pirâmides que nunca foram erguidas, mas cujos destroços (que nada mais eram do que escombros de uma pedreira que havia ali perto do seu palácio) se faziam ver ali, no meio da cidade, atrapalhando o tráfego de carroças e o fluxo de pessoas.
Tudo isso, no entanto, não era o bastatnte para que seu nome ficasse na história e seu povo parasse de rir dele pelas costas. Ele precisava ousar, precisava criar, algo diferente de qualquer coisa que já havia sido feita.... ele teve então ua idéia: começou a convocar homens, velhos, e re
ivindicar os cavalos que haviam na cidade para irem a uma guerra que ninguém sabia onde seria, como seria ou por que acontecia. Desta vez com uma grande peculiaridade: a de se passar pelo deserto para se chegar ao caminho alcançado. Obviamente, passar pelo deserto era das coisas menos sábias a se fazer, mas como as imagens valem mais do que desenhos, num rabisco de papiro, com um mapa imaginário, cambises convenceu a todos: era um grande sábio. Mais do que sábio: era um político. talvez pior do que os que existem hoje.


Com esse rascunho, Cambises conseguiria levar homens, animais e..é, homens e animais, para o meio do nada, onde uma tempestade de areia os engoliria. Não fossem alguns boatos que anteviam os planos do rei. Conversas de bar aqui, rumores num jornal da oposição de lá.... meu avô ficava até emocionado nesta parte , pois ele jura que estava la grande praça, em frente ao palácio real, quando várias pessoas, soldados e seus familiares, se reuniram ali, clamando pelas vidas do que iam e implorando para que aquele sacrifício não saísse do papel. Tá certo que não se trata bem de sair do papelo mesmo, pois o rei não havia discutido isso com ninguém. Era mais um pedido para que aquele pensamento sombrio se esvaísse, se apagasse da mente majestosa do rei majestade Cambises II.

O rei, dentro do seu palácio, mas fora dele, o barulho das mulheres chorando, do farfalhar das vestes dos soldados sendo abraçados por suas famílias, dos filhos chorando
só de ver as mães e avós chorando pelos que ainda não haviam morrido .... o barulho da dor lhe atirava pedras na janela o chamando pra ver. Isso fez do rei Cambises II um ser desafortunado e que não conseguia mais dormir tranquilamente. Noites e noites em claro, aquele funeral na porta de seu palácio, suas visitas reais vendo aquilo e ouvindo a história por meios que ele desconhecia. Resolveu então convocar o comandante da missão "suicida".

"Comandante X, filho de Y, neto de H menos J elevado ao cubo"

[As palavras do rei, ao ouvido de todos, soa como o barulho do sangue que jorra de uma ferida profunda e maligna]

"Sim, majestade rei! Ó rei Cambises II, filho do Sol!!!"


" Dos escombros das pirâmides que a história há de dizer que construi, embora nunca tenham sido erguidas, me veio a inspiração que há de nos tirar desse impasse"

"Sim majestade rei!!! Ó rei!! Diga lá o seu pensamento real majestoso"

[102 batimentos por minuto]

Fale mais baixo!!! É uma conversa minha e tua a que temos agora! Seu formalismo me irrita! A conversa é entre nśo dois, não deve ser ouvida pelo palácio todo, que o diga pelos que estão à porta da mnha casa!!!

[O comandante engole seco][158 batimentos por minuto]

Mande-os para o deserto ainda. Mas que...


[164 batimentos por minuto]

quando estiverem o mais longe possível da Pérsia, e neste momento, com suprimentos para fazer o caminho de volta....

[Coça a cabeça][165 batimentos por minuto]

....suprimento suficiente para que as últimas migalhas venham a lhes alimentar às portas de suas casas.... que abandonem suas roupas, armas e animais...

[136 batimentos por minuto]

... e que os deixem perecer no deserto. As areias e os ventos se encarregarão do resto.


E assim termina a história do meu avô, que se lembra, como ele sempre gosta de dizer no fim da estória, exatamente do dia em que foi à praça na frente do palácio para abraçar seu pai, que estava partindo pra suposta guerra.

Quanto aos destroços, e não só eles garantiram a Cambises II um lugar na wikipedia e em outras páginas da história. Eeeeeee... é isso, uma velha história de família, contada repetitivamente nos domingos de almoço na casa do meu avô, mas que tinha que ser passada adiante. E não é bem uma história, tá mais pra um "causo"
, o que não deixa de ter o seu valor


=)


sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Quatre-vingt-onze centimètres - Skhizein

Saudações binárias, senhoritos!!!


Faz tempo que não falo com vcs, mas é por que ando meio atarefado (ok ok..to em férias, mas que que eu posso fazer? E olha que nem estou mentindo). Mas hoje eu lembrei de vocês. Sim!!! Lembrei de vcs quando encontrei um vídeo muito legal que fala sobre um cara sobre o qual caiu um meteorito, algo com consequências terríveis. Claro, isso é um desenho. É bom avisar por que vcs acreditam em tudo o que eu falo (até parece rsrsrs)

O único porém é que esté legendado em inglês, mas não é muito difícil entender, mesmo assim.

Outro porém é que o nome é muito difícil de se falar e escrever... seu eu tentar escrever o nome do desenho sem lembrar..shkizein, skzein...dá errado. Ou seja, vc nunca vai poder falar pros seus amigos que viu o filme, ou ter que falar deste fabuloso blog pra eles (\o/ vcs criaram um monstro rsrs)

Skhizein em português from Júnior Bocelli on Vimeo.

Aproveitem!!! E feliz nat... caralho..q q eu tô falando

=)

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Desaniversariando hoje.... (tutututututu...barulho de tambores!!! =)

Por conta do meu um quarto de século, um merecido post em minha homenagem rsrsrs



Este filme é muito doido, o chapeleiro maluco é um doido muito simpático. Achei outras versões do arquivo em inglês, até maiores, mas as músicas em português são igualmente boas. Uma época em que eles colocavam gente boa pra cantar e fazer versões, e não estrelinhas da música sertaneja, atores de novela... (nostalgia rsrsrs)
Aproveitando o post, queria colocar um outro vídeo sobre o livro do Lewis Caroll (dois éles ou um éle?)




Incrivelmente, o Soares já fez coisas boas...a crítica dele é muito bem feita neste trecho de um antigo programa que ele tinha na tv.

Aproveitem

=)

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Por falar em máquinas de lavar.... (ou "O princípio de uma idéia num ônibus")

Olá, senhoras e senhores!!!


No post anterior eu citei minha experiência dentro de uma máquina de lavar. Aí lembrei de um desenho que eu fiz em outubro no ônibus indo de São Paulo pro Rio, no qual eu tive uma idéia pra fazer uma camiseta nova (faz tempo que não faço nenhuma). Eu sei que muita gente vai falar

"Pqp, vc tem certeza que quer fazer mesmo uma camiseta? Vc desenha mal pra cacete!!"

Vcs devem levar em conta que o ônibus sacolejava muito (não é desculpinha isso!!!). Vou postar aqui os desenhos, espero que vcs entendam (espero mesmo rsrs)


A pedidos, agora acompanha a tradução ... (nossa, foi foda traduzir isso. Cadê minha pedra Roseta?)


"Logo que eu saí de casa
Eu não imaginei
que teria (e iria)
aprender tanta
coisa"


"O primeiro gde susto
me foi lavar
roupas"

"Bom é que as máquinas
de hoje em dia fazem
quase tudo...ainda não
penduram tua roupa recém
lavada. Mas.... quem sabe
um dia?"









"Mas, voltando, ***** (parte
ilegível) máquina

hj só lave, não precisa se
preocupar... ela nem pula
nem nada"

"pogobol"

"cama elástica
(não é um
disco voador!!!)"

" E tbm não vai parar na sala
depois de ligada na área
de serviço"

"Apesar de tudo, ela ainda
pode deixar
umas manchas...

... nas tuas






vestes...principalmente
qdo vc está aprendendo
a lidar c/
esse eletrodoméstico
tão temperamental"

"chicote"
"máquina enfurecida"








"mesmo c/ manchas e
outras dessas, elas se
mostram úteis,
indispensáveis
e, às vezes,
carinhosas"

"4.10 voltando
sp->rj no onibus"






Como as almas mais atentas podem ver, é quase um poema desenhado....

....e uma declaração de amor ao mesmo tempo!!!

=)

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Sobre máquinas de lavar roupas, fazer esportes e a cegueira (ou seria a miopia?)

Ok, vc quer malhar pra caralho neste verão, ficar gatinho(a), corpo bronzeado debaixo do sol escaldante que mata e frita células neuronais sem bainha de mielina dos milhões de milhares de cariocas que passam por vias enormes e cheias de trânsito... vc pega, vai à praia jogar frescobol, compra cervejas... por sinal, ir à praia durante a semana é o que há, a melhor coisa do universo. Aí vc joga frescobol, entra no mar, toma caldos, fica perto da água, vem uma onde, e leva todo seu dinheiro, óculos, alma lavada... isso quando não te leva a sunga (hummm ou top..é assim que se chama a parte de cima do biquini? Tem nome isso?).

É...esse é o drama que assola milhares de paulistas perdidos que vem passar parte de suas vidas no Rio de Janeiro. Isso foi para comover vocês e pra ir lhes preparando para alguns contos natalinos chorosos e cheios de drama que há de amolecer o coração de vocês... ou mesmo lhes chocar! Um soco no coração de pessoas duras, de alma sombria....e que sabem pegar jacaré =)


Resumindo: o melhor do dia, mesmo depois de ter sido indiretamente cegado pelo mar, foi me sentir dentro de uma máquina de lavar depois de uma onda gigante que me pegou. Braços e pernas para todos os lados, nem sabia onde estava a praia depois dela rsrs. Engraçado é que o mar só ficava bravo quando eu entrava nele. Mais engraçado ainda foi a cara das pessoas me vendo tomar um caldo, foi muito bom, todo mundo desacreditava, foi coisa de desenho animado a cena toda (da onda que me levou os oćulos até o último caldo)


=\
+
=)

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

A visita - segunda parte

Sem saber muito bem o que fazer, liguei para o zelador do prédio:

triiiiiiiiiiimmmmm triiiiimmmmmm

[interfone]

Portaria, bom dia

[alguém com voz de sono]

Oi, seo Marcos. To precisando de uma ajuda aqui em casa.

Ahhh agora tá difícil....não to podendo sair daqui não, to sozinho aqui na portaria e se o síndico pega a portaria vazia eu levo uma bronca posso até perder o emprego

Mas é que tem um alce aqui na minha sala

Um oque?

Um alce

Um aço?

ALCE

Qui é isso?


Caramba...nnão importa, o que importa é que tem um bicho enorme aqiu na minha sala

O sr não pode matar ele com um inseticida?

Não!!!! É um bicho enorme, quase um monstro!!!

Olha, eu to muito ocupado, se o sr quiser eu posso interfonar pro apartamento do síndico e ele pode ir aí te ajudar, mas eu não posso fazer nada. Se eu fosse você eu pegava uma vassôra e dava no monstro

Senti uma certa ironia nessa última frase dele. Desliguei. Filho da puta. Resolvi ligar para os bombeiros. Talvez um órgão responsável como o deles fosse me ajudar.

Um nove três bombeiros, em que posso ajudar?

Oi, eu me chamo Gatobíades, eu estou com um pequeno problema na minah casa.

Pode falar senhor.

Tem um alce aqui na minha sala.

Como?

Um alce.

O senhor mora no campo?

Não, num prédio, no oitavo andar. E tem um alce na minha sala.

O nome do senhor por favor.

Gatobíades...Gatobíades Silva.

Talquei senhor Gatobíades... a gente tem muito o que fazer por aqui hoje pra ficar levando em conta trotes como os que gente desocupada como o senhor passa. Toma vergonha, seu vagabundo...

Mas... é verdade, um alce enorme. Quer que eu o descreva?

Bom dia...

Mas..

BOM DIA!!!


[paaaaac][batida de telefone no gancho]

...e desligou na minha cara. Vaca.

Abandonado. Por tudo e por todos. Só eu e um problema. Eu e o alce. Voltei até a sala para ver o visitante. Ele estava sentado no tapete. Parecia bem comportado e calmo. Deixei uma tigela com uns pães pra ele, bem ao lado do seu corpo, com medo de que ele viesse em minha direção (embora já estivésse perdendo o medo) e saí de casa. Voltei logo na sequência, para pegar novamente o objeto esquecido.

O alce estava no mesmo lugar. O pão, intocado

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

A visita

Hoje era pra eu ter saído de casa bem cedo. Cedo bem cedo mesmo, e assim o fiz. A pressa, no entanto, sempre me faz esquecer algo em casa, ao que, já dentro do elevador, tive que voltar ao meu apartamento, no desagradável e distante último andar, para pegar o esquecido objeto.

Entro correndo e deixo a porta aberta. Passa pela minha cabeça que uma porta aberta deixa de ter a funcionalidade de porta; os vizinhos podem então perscrutar minha sala, observar meus móveis, reparar nas manchas de umidade que minha parede carrega... "onde deixei, onde deixei?". Objetos perdidos-esquecidos deveriam ter um bipe de localização. A porta aberta, eu no corredor que leva aos quartos. Agora, carregava com as duas mãos o objeto... vejo de canto de olho que alguém está entrando.

Não acreditei. Olhei estático para o visitante, achei que fosse morrer, não só pela violência iminente que esperava sofrer, mas pelo medo"paralisado fique" que me transtornava. Um alce. Um alce grande e com cheiro de selva adentrava minha sala. Enorme, intratável... mas estranhamente, no seu semblante ruminando contente, havia paz e indiferença, como se a casa fosse sim dele, e não minha.

Corri para fechar a porta. Se para esconder dos vizinhos, ou se para guardar aquela vergonha para mim somente, não sei. Acho que na verdade corri para ver se alguém via aquilo também, ou se eu estava ficando mentalmente afetado e fugia de um sonho pela porta da realidade: indício de solidão talvez, ou algo parecido... devo ter batido a porta por reflexo. Me virei e olhei pra ele, que me dava as costas. Mais precisamente, suas nádegas. Não sei se para um quadrúpede se chama isso de nádegas.... que seja: ele realmente não me olhava de frente.

sábado, 28 de novembro de 2009

Mimos mimosos manufaturados à mão

Saudações para os que sentiram falta dos posts!!!

É...talvez eu não esteja falando com muita gente... bom, de qualquer forma, eu passei por aqui pra dizer que eu não desisti do blog. Estou falando isso por que se vc der uma olhada em outros por aí, vc vai ver que as pessoas estão sempre inventando uma desculpinha pra não escrever nada ou terminar seus blogs. Todo um drama pré-fabricado.... ao invés delas admitirem que lhes carece imaginação e boa vontade, elas dizem que a vida lhes demanda mais tempo, bla bla bla.... Ok, é meu caso também (falo da imaginação rsrsrs), mas eu nunca vou conseguir deixar de entediar vocês (deveria ter lotado de "!!!" para mostrar toda minha expressividade nesta sentença rsrs)

E ontem foi o show do acdc em sampa..deve ter sido foda. muuuuitoextremamenteincrivelmente foda... mas eu perdi - ainda mais por que tenho prova segunda próxima, oque indica o porque de eu vir postando tão pouco aqui ultimamente

Por conta desse momento rock n´roll meio fossa da minha vida, e só pra não dizer que não lembro de vcs sempre, eu vi uma coisa muito idiota por estes dias e me remeteu diretamente aos meus leitores... (façam a associação que vcs quiserem, mas isso foi um elogio): quis imediatamente compartilhar isso com vcs. É um vídeo dos muppets fazendo uma versão de Bohemian Rhapsody




Aí, vendo o vídeo eu me lembrei de uma outra mini versão de bohemian rhapsody qye aparece no filme do "mundo de wayne"...acho que no brasil ficou como "quanto mais idiota melhor"






Espero que vcs gostem... estou preparando outros posts, acho que vcs vão gostar

=)

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Dos blogs que eu vejo da minha janela

Por estes dias olhei para a tela do blog. Esta mesma tela que vc deve estar vendo agora:

pálida,
plana,
pálida,
cheia de letrinhas.

Senti que algo diferente acontecia. Meu olhos se mexiam furtivamente, procurando por algo que eu não sabia o que era.

olha pra direita,
olha pro alto,
corre pra cozinha com medo de deixar a comida queimar,
volta correndo e olha pro canto superior, ainda mais superior ( pois está acima do nome do blog)

"blog seguinte"

Incrível que, a curiosidade e, não sei se a lógica, me fez procurar quase que imediatamente por um botão do tipo

"blog antecedente"

Até agora não o achei. De qualquer forma, segui adiante, olhando para o olho mágico dos blogs que só me permitia olhar em uma direção (como todo olho mágico). Fiquei pensando se o blog da frente era um blog vizinho que nunca saberá da minha existência se eu não for lá e disser meu nome e lhe convidar pra uma rodada de truco, chá, bolos... ou uma rodada de cerveja. Devo também ser o vizinho da frente de alguma pessoa que fica a me perscrutar, analizar posts sem sentido sobre lagartixas doentes, mms derretendo etc. Vizinhos de corpo e alma que me são como sombras... dúvidas existenciais (ó, blogosfera cruel!)

Tendo olhado para o blog da frente, parei e pensei no quão chato era isso: olhar e ser olhado. Na verdade, olhar sem ser notado, ser observado sem consentir ou mesmo ter consciência disso. Saí correndo suando, percorrendo os milhares de quilômetros de teclas e letras-obstáculos que me separavam do botão do navegador para voltar à página anterior (caminho este que poderia muito bem ter sido encurtado por um atalho, o qual desconheço)... queria o abrigo do meu blog novamente. No entanto, mais uma vez, a dúvida veio se debater com a minha existência, e não pude senão apertar o botão

"blog seuinte"

novamente.

Como se olhasse duas vezes em nanosegundos de diferença, olho pelo olho-mágico-botão-blog-curioso-seguinte e vejo outra pessoa... outro blog, diferente do que eu acabara de ver!!! Agora uma pessoa mais alta e que usava um chapéu de médico do começo do século 19! Um outro blog, completamente diferente, um outro universo!

Depois deste acontecimento não procurei refúgio no meu próprio blog, mas sim fechei o navegador. Como um vizinho que, quando você começa a dar oi, a brincar com seus filhos e convidar os mais velhos da família pra fazer tricôt na sua sala, eles mudam de casa, e então vem uma outra família morar no seu lugar, e no outro dia uma outra.... como o homem da mitologia que toda vez que levava a pedra ao alto da montanha ela tornava a rolar montanha a baixo, e toda vez ele tinha que descer para ir buscá-la.

Ao menos eles não me vêm pedir açúcar...pelo menos não até agora


quarta-feira, 18 de novembro de 2009

O incrível mundo das lagartixas + cositas buenas



Olá, seres estranhos que acompanham o blog!!!


Tenho sentido falta de vcs!!! Tá... vcs não acreditam, mas tudo bem.... eu estava mentindo mesmo =)

Hoje vi uma lagartixa doente.... e fiquei triste, e até com dó do pobre réptil (é réptil mesmo?). Bom, que seja. só sei que ela estava doente, pois me deixava dar uns cutucões nela com a ponta do pé, ao que ela reagia só se deslocando de leve pra qqr direção que não meu pé, mas assim...beeem devagar, que nem ...ahh sei lá que nem oq, mas era bem devagar, cada movimento era devagar....

Inspirado pelo flamenco que ouço agora e pela imagem dos pequenos braços de lagartixa que procuram uma cama que não existe diante de si a cada toque dos meus pés, vou fazer um poema pra ela: para eternizar sua fragilidade e realçar todos os seus movimentos de bicho preguiçoso que aparece de vez em quando nos apartamentos sem samambaias na sala....

...nããão..desito do poema.. vai ficar só no post mesmo.

Mas fica bem, sra lagartixa!!!! Por favor!!!!

=0


sábado, 14 de novembro de 2009

O nariz

Bem... o post desta madrugada pós passeio de bicileta não será uma homenagem pra lá de devida ao conto homônimo do Gogol. Por sinal é um puta conto, vcs deveriam ler. Mas voltando, o passeio, não, o post é sobre o meu nariz. Isso, este pedacinho de cartilagem com um milhão de outras paradas e que, segundo a minha tia, lembra muito o nariz do meu tio (sem piadas =)

Uma vez na infância me disseram que quando o seu nariz escorre é agua do seu cérebro que tá indo embora: seu cérebro está sendo drenado. É, isto assusta os mais corajosos no fim das contas, mas não passa de uma lorota. Uma grande e doentia lorota rsrsrs Nem me lembro quem a contou pra mim..bom, o que importa é que meu nariz sempre que está "naqueles dias" em que ele escorre escorre, se põe a escorrer justamente quando eu estou fazendo algo importante. É como uma lei de murphy, mas não é bem alei de murphy, entende? É como o principio da incerteza e mecânica quântica... le não acontece só em mecânica quantica, acontece em várias coisas (análise de fourier, por ex)... o caso do nariz que escorre não é lei de murphy, mas sim um princípio diferente do qual não posso falar agora (falta de palavras pra tanto... ou ainda, preguiça =), mas acontece com muita gente. De fato, o seu nariz sempre escorre em ocasiões como esta:

1) vc está conversando com uma menina linda e ela e vc percebem que o seu nariz escorreu (isso quando isso não cai sobre o vestido dela rsrs);

2) todo mundo está olhando pra vc, vc conta algo engraçado, e quando vai rir o seu nariz escorre;

3) vc é o centro das atenções, a pessoa que está falando na hora, e quando vc está no ápice do discurso, voilà (sem direito à piada no final..claro, vc pode virar a piada, com certeza rsrs)

4) vc está fazendo vestibular

Aposto que algum dos casos acima já aconteceu com vcs!!! Não tem como!!!

Acho que o post de hj foi um desabafo.... to aproveitando pra postar enquanto ainda tenho um pouco de água no cérebro

=0

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Da varanda lá de casa

Ele varria a rua e o barulho era enorme. A kilômetros se pode ouvir; eu quase ficava surdo, que o diga conseguir dormir: impensável, impensável.... varrer a rua de madrugada. Nem parecia de verdade.

Achava que era alguém varrendo a rua, embora pudesse ser qqr coisa...de fato, até demorou pra eu perceber do que se tratava:

que não era um gato batendo a cabeça numa lata de lixo,

ou um morador de rua amassando uma latinha com uma bigorna,

ou um piano sendo levado pra casa num carrinho de feira

ou um ar condicionado no qual gotejava um outro ar condicionado,

no qual gotejava um outro ar condicionado

no qual gotejava outro ar condicionado,

no qual gotejava um quinto (ou seria sexto?) ar condicionado,

no qual gotejava a chuva

Eu saí, nao aguentei a raiva misturada com a curiosidade, e fui olhar pela minha varanda. Mas a varanda, estranhamente, me oferecia uma visão que antes eu não tinha: uma vista do meio da rua..como se minha casa tivesse andado durante meu sono!!! Tentei pender o corpo mais pra frente pra ver até onde minha visão alcançava, mas o prédio começou a cair e quando dei por mim já estava no chão. Ainda vivo, e de pé!!! Gritava com os outros moradores se eles queriam que eu trouxesse pão da padaria ali ao lado...

...continuava, porém, aquele barulho da gota do ar condicionado que caia na cabeça do homem que varria a rua, na qual passava um mendigo que amassava a bigorna com um gato que morava numa latinha de cerveja.....e que gotejava berros e miados... na frente da padaria, esperando que alguma senhora de coração mole lhe desse um pedaço do pão quentinho que saia àquela hora do forno.

Eu via tudo isso da fila.

sábado, 7 de novembro de 2009

Ode à Remolenga e a todos os monstros imaginários que me tiravam o sono =P

O sr humano cria os seus próprios medos. Deve haver uma explicação científica sobre essa história toda de filme de terror, montanhas russas. Não parecem coisas normais, e não vejo nenhum paralelo na existência de qualquer outro ser vivo sobre a Terra. Uma vez li que se alguém fala pr'uma criança que no escuro que ela vê à noite no seu quarto existem crianças felizes sorrindo, é isso que ela vai ver lá. Acho essa visão meio "ursinhos carinhosos" demais... talvez a maior consistência do bem seja a evidência do mal que o cerca... do contrário eles não são nada (ou uma coisa só, vai saber?).

Quando eu era criança eu tinha medo de alguns monstros que eu criava. Na verdade não criava, eu os via na minha cabeça... ou acreditava já tê-los visto uma vez. Pelo menos a remolenga eu vi!!! Minha mãe vivia me falando pra não ficar fazendo zona em casa: não ficar pulando, gritando... etc. Pra me fazer "acalmar" ela dizia que a vizinha do apartamento de baixo era uma bruxa... aí né, já sabe... eu comecei a acreditar que no banheiro na área de serviço havia uma passagem que ligava meu apartamento com o apartamento da vizinha feiticeira... e a bruxa que saia de lá era a tal de Remolenga. Não me perguntem de onde veio esse nome!!! Não faço idéia, talvez minha mãe saiba.

Incrível também isso de "ver o que se imagina". Não sei se é bem isso que acontece, mas crianças são seres especiais. Eu lembro que tinha um prédio pelo qual eu passava às vezes na frente com a minha mãe no qual eu via o bozo. Sério!!! Eu via o bozo!! Ele aparecia nas janelas, atrás das pilastras me dando tchau.. Bozo fdp!! Nunca veio até a portaria me dar oi!!! rsrsrs Mas um dia, de tanto que o zelador do prédio achava aquilo estarrecedor, ele nos deixou entrar. E o bozo não foi encontrado... vai ver ele estivesse no meio de um pico de pó e não ouviu a campainha imaginária que eu alucinadamente estava tocando naquele momento. O chapeleiro maluco passa, a Alice não olha, pois está babando de sono =)

Então... o post todo começou depois que a minha irmã me mostrou este filminho falando sobre uma criança com medo tentando dormir. Muito bom




legal é que eu acabei de me lembrar de um outro filminho francês que eu vi uma vez, o "le marchan des sable", que fala justamente de uma criança que não quer dormir. Vou postar os dois aqui



Aproveitem!!!! Os dois são muito bons!

=)

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Penitência

Oi,

Quer saber? Oi nada! To dando oi mas não queria, estou no mais profundo mal humor da face da Terra, do mundo todo ou do universo dos seres com mal humor. Por falar nisso, é incrivel como tem gente de mal humor assim que sai da cama, não? Não é meu caso, mas...bem, o que ocorre é que eu estou de mal humor por que estou morrendo de sono e não posso nem ir pra casa pra dormir, já que o sr esperto aqui esqueceu a chave de casa em algum lugar do seu querido lar e agora não tem ninguém lá para recebê-lo!

Merda!!! Alguém me arruma o sofá da sua casa pra eu dar uma dormida..pelo menos até a hora da janta!!!???

Que nada... pessoas duras e sem coração, meus pedidos não vão roubar uma única lágrima dos senhores. Há os que podem morrer desidratados com isso... eu tenho bom senso em não fazê-los chorar rsrsrs

Em vista de toda esse meu humor corrosivo, que acalenta os queridos leitores do blog com palavras ternas, quentinhas que nem pão de padaria quando sai do forno .... ahh...desisto.... não sei como terminar essa bajulação toda, vcs não merecem

=P


ps: amanhã eu peço desculpas!!! rsrsrs

ps2: é verdade!!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Lascia ch'io pianga

O mais recente filme do diretor Lars von Trier, Anti Cristo tem a ver com o título sim..mas não é como naqueles filmes que tem uma criança que é a reencarnação do mal bla bla bla... é um terror suspense.
Coloquei abaixo a abertura do filme, na qual toca um ...nossa...foi muito bonito ouvir isso.. uma ária de Haendel. É sério, isso até daria um post ( que adio há tempos): me intriga toda vez que ouço ele, ou Bach, e conseguir sentir o que eles acreditavam, que era aquele sentimento de fazer música pra ficar mais próximo do que eles diziam ser deus. É algo muito bonito, muito mesmo...mas enfim, o trecho abaixo tem umas cenas fortes de sexo vou repetir... isso pode soar tanto como um alerta aos menores imprudentes (ou os de coração fraco) ou como uma boa jogada de marketing rsrsrs

O filme abaixo contém cenas de sexo, quase-explícito

Mas o filme não se trata disso... é a cena inicial do longa, na qual um casal está dando uns bjs enquanto o filho deles cai pela janela.




Uma cena muito bem feita. Espero que vocês curtam.

=)

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Quando se põe o preço na boca do sapo pode até não ser macumba

Vcs já ouvira falar do Vincent Price?

Bem, ele foi um ator muito famoso de filmes de terror. Muito homenageado, importante pra caramba. Pra vcs verem, vou postar aqui um vídeo do início da carreira do Tim Burton, onde ele de certa forma homenageia o Sr Price



Viram? O cara era bom... outro que o homenageou,,,na verdade não, não fez homengaem nenhuma, mas aproveitou dessa tendência pro "show de horror" que o homem tinha, foi o falecido Michael Jackson, naquela música thriller..lembra que aparece uma voz narrando algo no final? Sim senhoritos, é o sr Price aussi!!! =)

Tá...agora, o vídeo lembrança principal da noite , e que foi a pedra fundamental do post, foi um no qual o Vincent Price participa do show dos muppets. Caramba, vcs lembram dos muppets? Eles eram demais!!! Adorava aquele sapo falante, aquela porca nervosa ensinando aos futuros homens o que esperar das mulheres (havia uma mensagem subliminar naquilo tudo, não acham?) Mas então... eu adorava aquilo tudo!!! Era só ouvir o "muppets babies...lá lá lá... " eu ficava vidrado naquilo tudo....vou colocar a abertura aqui



Voltando... este vídeo está em inglês. Nele o Vincent Price ensina o sapo caco (ahhhhhrghhh eles chamavam ele de "kermit" em inglês!!! rsrsrs) a ...bom..vejam por vocês mesmos...é muito bom o vídeo. Achei muito inesperado..




Muito bons os filmes...aproveitem, são bem curtos

=)

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Que fim teve o Mágico de Oz?

Caramba,

Alguém se lembra de como é o final do Mágico de Oz? Eu me lembro de algo como uma cidadezinha com gente pequena que tem medo da bruxa, e na verdade há um cara pequenininho que se fantasia de monstro ou algo do tipo e fica dentro deste monstro, controlando-o com umas alavancas....

E onde entram as bruxas (por que são duas, acho)? Uma delas (a malvada) é comparsa do Mágico de Oz? Eles são "parceiros no crime" ? (isso não tem nenhuma conotação sexual rsrsrs )


Que dúvida bizarra essa que me assola, e veio para atrapalhar a minha noite de sono... que fim teve o mágico... a dorothy, pelo que eu lembre, volta pra casa e acha que sonhou.

Mas, reiterando...e o mágico? Alguém sabe dele?

=0


ps: acho que o mágico de oz veio pro Brasil pra se preparar fisicamente e trabalhar como apoio nas olimpíadas do Rio.... talvez ele abandone a profissão de mágico e vire um palhaço: o palhaço de oz =)

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Da medicina e suas doenças não catalogadas

A medicina, como toda ciência, mais desconhece da sua área do que a conhece propriamente. Há ainda muitos universos a serem descobertos. A medicina se faz assim um parente próximo de outras ciências ignorantes...das que ignoram muito mesmo... como a física e a matemática. Pra vcs terem noção, na matemática nós ignoramos tanto as coisas que até criamos prêmios pras pessoas que derem um "passinho" em alguns pontos (é...poderia ter falado do prêmio nobel =)

Bem, o post de hoje é sobre um artigo de jornal que eu li (isso é raro, acreditem...eu quase não leio o jornal: vou direto pras tirinhas do calvin, do hagar rsrsrs). No artigo eles falavam de uma doença, mais precisamente um vírus, que causa fadiga, muuuuita fadiga. Como eles chamam mesmo? Vírus da fadiga crônica...algo do tipo. Então, esse virus é tão , mas tão ruim ( e aparentemente sem cura) que até os médicos falam que, entre escolher sobre tê-lo ou ter aids, era melhor ter aids, pq ele te deixa no chinelo, de cama e tudo; foi uma doença relatada recentemente.

Pelo mundo existem diversas outras, desconhecidas, e que podem até ficar longe do conhecimento da sociedade pela eternidade!!! A gte pode dizer até que cada pessoa nasce com uma doença específica. Cada uma tem a sua e, nem vem, nada de compartilhá-la ou vendê-la! Cada um tem sua própria razão de sofrimento que lhe corrói por dentro, como uma digital...uma doença digital (não..melhor dizer uma digital da doença). Doença digital é vírus, não é mesmo? Dos de computador, celular rsrsrs

Vou relatar algumas doenças que eu já tive das quais nunca vi ninguém falar nada a respeito.

Me lembro de uma que eu tive na época do fim do colégio, ensino médio): eu andava pelo centro de sampa um monte, indo na galeria do rock, na casa de amigos, avenida paulista.. e toda vez que eu via um cantinho na rua, um canto que me parecesse quentinho e limpinho, eu tinha vontade de ficar lá deitado e dormir e dormir, descansar um monte. Esta doença durou um ano mais ou menos...nem me lembro quando passou, mas nem tenho mais ela

*****************************************************
Ó , minha doença particular!
Volte para que eu possa sentir os teus braços
ou mesmo deixar de sentir os meus!
Pelo efeito da dor que há de me causar!

E ver no teu sorriso
a cada pontada de dor no meu frágil corpo
Que você é minha,
só minha
E que não há veneno (de qualquer indústria farmacêutica) que há de nos separar
(Só se vc começar a querer ir em jogos do flamengo =)


*****************************************************

Houveram outras depois dessa. Não me lembro agora, nem consigo descrever os rostos delas. Não tenho muita saudades, aquilo que se pode dizer como " nossa, que saudades de verdade, parece que caiu uma bigorna no meu peito, de tanta dor" Nããão, isso não acontece.

Ahhhh lembrei!!! Mas esta não me parece ser uma doença particular. Acho que já ouvi gente falando que teve também. É a doença do surdo linguístico...dei o nome agora. Meio infeliz mas...beleza rsrs

Eu ia pra faculdade de ônibus e ia ouvindo aqueles estudantes conversando, conversando..e não entendia nada!!! Várias vezes eu pensava que eles estavam falando alemão ou inglês, mas eles estavam (como depois eu descobria) falando um português pra lá de claro!!! Uau! Que doença muito doida... não tenho mais ela também (aliás, que doença será que eu tenho agora? Das não catalogadas, digo?)

Bem...por hoje é só...vou correndo pra aula, que já estou atrasado

=)

sábado, 24 de outubro de 2009

A velha fififinféia (post #3)

Como prometido

No meio de uma floresta existia uma casa beeem bonita, de uma velha, a velha firifinféia. A velha cultivava várias bananas bem gostosas, as quais eram tratadas com todo carinho. No entanto ela tinha um problema: um macaco mto sacana que lhe roubava as tais frutas cultivadas. A velha ficava mto mto brava com ele, mas ele sempre ia lá e roubava umas bananas.

Até que um dia a velha resolveu pagar uns policiais pra dar um sumiço no macaco.. brincadeira... =)

Até que um dia a velha resolver dar uma lição no macaco. Ela pensou, pensou ...até que


" aaaahh sim...agora eu pego aquele macaco safado"



A velha fez então um boneco de piche. Mais exatamente, um macaco de piche. O fez e o deixou no meio da plantação de bananas.
O macaco, no dia seguinte, foi até a plantação da velha. Estava lá pegando bananas alegremente, nem parecia que estava atento à nada, ou receoso do perigo que a dona da plantação representava...até que viu o macaco de piche e, como a velha imaginara, pensou que fosse um macaco de verdade.

Ei moleque!, que que vc está fazendo na minha plantação de bananas??!!!

O macaco de piche não fazia nada...só ficava lá parado olhando o outro macaco.

Responde moleque!!!

Silêncio...

Olha aqui, se vc não falar nada eu vou te dar um tapa...
Silêncio

E lá se foi um tapa...

Ei moleque!! Solta a minha mão... se não soltar te dou outro tapa

[Tapa]

Ahh é, é? Se não soltar as minhas mão vou te dar um chute....

[Chute]

Se não soltar te dou outro chute

[chute]

O macaco já todo preso, não entendera ainda que estava era caindo numa armadilha.

....te dou uma barrigada se não largares meu pé, meu outro pé, minha mãos e minha outra mão..

O macaco ficava lá, só encarando...

[barrigada]

E agora uma cabeçada se não me largares...

[uma pausa na história... eu adorava a parte anterior quando a minha mãe me contava..eu ria muito =]


Depois disso, como vcs imaginaram, o macaco estava bem preso... ao que a velha apareceu e, sem a ajuda dos policiais do bope, deu uma sova no macaco que ele ficou todo quebrado....

"Isso é pra vc não roubar mais as minhas bananas!!"

O macaco jurou vingança... Foi até uns camelôs que ficavam no centro da sua cidade e comprou ilegalmente a pele de um leão para poder assustar a velha. Ela ia ver, ia levar um susto daqueles.

O macaco implementou o seu plano, resolvendo assustar a senhora quando esta estivesse no quintal da sua casa tirando água do poço. No entanto, o susto foi tão bem dado, o assombro da velha tão grande, e os acontecimentos se deram de forma tão rápida, que o macaco mal teve tempo de ver a velha caindo dentro do poço.

O macaco ficou arrependido na hora que viu a velha lá embaixo... ele precisava remediar o seu feito ajudando a velha. Subiu no posso e esticou o seu rabo pra ver se conseguia tirar a senhora com ele.

Não, não conseguia. A velha era muito gorda.

Tentou com o rabo da pele do leão que usara pra dar o susto

Não conseguiu de novo.

O macaco seguiu pela floresta desesperado!



Caramba... esqueci o final... vou ligar pra minha mãe ...

Então..o nome do macaco era Simão..puts... como eu pude esquecer! E não tem nada a ver oque eu escrevi.



Vou recomeçar. Em vermelho, pra vocês não se perderem.

"Isso é pra vc não roubar mais as minhas bananas!!"

O macaco jurou vingança... Foi até uns camelôs que ficavam no centro da sua cidade e comprou ilegalmente a pele de um leão para poder assustar a velha. Ela ia ver, ia levar um susto daqueles.

O macaco Simão implementou o seu plano, e resolveu assustar a senhora quando esta estivesse no quintal da sua casa tirando água do poço. No entanto, o susto foi tão bem dado, o assombro da velha tão grande, e os acontecimentos se deram de forma tão rápida, que o macaco mal teve tempo de ver a velha caindo dentro do poço.

O macaco Simão ficou arrependido na hora que viu a velha lá embaixo... ele precisava remediar o seu feito ajudando a velha. Subiu no poço e esticou uma corda velha que conseguiu com uns contrabandistas de animais silvestres a alguns kilômetros dali.

Não, não conseguiu ainda tirá-la do poço: a corda mais velha que a velha
e a velha era muito gorda. A corda arrebentou.

velha estava em desespero.... o macaco já estava desiesperançado. Pensou em explorar comercialmente o drama todo, chamando alguns canais de televisão que adoram por gente chorando no ar... não... o macaco Simão não era daquilo.

Então, numa idéia genial, ele subiu na beira do poço, esticou o seu rabo pra velha e...


....não...mto curto

Então ele viu o rabo da pele de leão e ...é, era daquilo que eles precisavam.

Dessa forma, o macaco Simão conseguiu tirar a velha do poço. A velha senhora, muito grata pela boa açao do macaco (hahaha olha como as histórias são estranhas, não? Boa açao, isso rsrsrs), ficou amiga dele. Passou então a preparar, todas as manhãs, uma cestinha com várias frutas, e cheeeeia de bananas para o macaco simão, que sempre passava lá pra dar um beijo e um abraço na velha dama (e às vezes até parava pra tomar uma pinga na casa dela e jogar um truco )

=)


E é isso!!! Finalmente, história terminada




sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Indícios

Encontrei uma formiga andando na minha orelha hoje...


Não precisa dizer mais nada, precisa?

=0

domingo, 18 de outubro de 2009

Pães com formigas (e elefantes com circos) para os que não tem engov

Cheguei da lapa com fome..fome fome mesmo.

Fui.

Peguei um pão.

Eu não sou mto chegado em pão...to evitando essas paradas com gluten e tals.... enfim... peguei o sr pão francês. Ele estava com algumas formigas.

"por que não?"

A fome era tanta, e o pão só um, que não tinha por que rejeitá-lo.

Fui.

Comi o pão.

Estava muito bom. Talvez melhor do que qualquer pão comum que se venda sem formigas. Um bom pão para recém chegados de uma noite pelo rio.

Mas

e se alguma formiga sobrevive dentro de mim e começa a andar por aí, a vagar por trás da minha íris enquanto eu travo papos animados com as pessoas?
E se, no meio de uma entrevista de emprego, resolve sair uma pelo meu nariz, ou até sair uma por debaixo da minha unha e teclar um tecla enquanto eu digito? Poderia sair errado por conta dela ou erradop por minha causa. Quem vai saber?



ps: post pós lapa, realmente... sem engov, após algumas brejase muitos pulos ao som de algum samba, dançando meu samba-rave =)

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Grandes metas para as vidas alheias

Ter metas na vida é sempre bom.

Vivo numa idade em que é um porre sair com amigos. Todo eles são confusos, todos têm medo do futuro. Em suma: vc fica chato, seus amigos ficam chatos, e no fim das contas ninguém sfala nada que ajude de verdade, pois ninguém tem certeza de nada... e todo mundo fica assustado. Acho que isso passa..não sei. Me assusta pensar que isso não passará rsrsrs

Parece que hoje uma criança nos Estados Unidos deu um susto em muita gente por que acreditavam que ela estava dentro de um balão de hélio (não é bem essa história... é quase isso, mas a essência está aqui, nesta última linha =) As pessoas se mobilizaram... ficaram comovidas com o drama da família dele.

No entanto ele fez isso por que tinha uma meta... (acho que tinha.... se não tinha o post perde o sentido! Vamos assumir então que ele tinha, e não se fala mais nisso)


Voltando ao tema inicial, ter metas é algo essencial na vida, senão vc fica perdido..ou mais perdido que o o normal. As pessoas sempr ebuscam imaginar suas vidas com algo que as tornem únicas diante do mundo, diante da sociedade, ou diante daqueles que convivem com ela.

Mas achar algo que te torne único é muito, mas muito difícil... veja este cara que nadou o amazonas. Ele mesmo diz que queria fazer algo que nenhum outro homem havia feito. Ele inventa mó lorota sobre meio ambiente e tal e tal..a coisa toda é ele ser o único, ou ao menos o primeiro. Eu achei foda o que ele fez... me inspirou a ..escrever este post (realmente, nado no máximo 3 km por semana..não seria o suficiente nem pra ir até a faculdade... se fosse pra me locomover assim, ao menos eu poderia ir a cada 15 dias: dormir lá, voltar depois de 15 dias...ficar em férias...voltar depois de 15 dias =)

Para alegrar os perdidos, inventei duas coisas que podem tornar as pessoas que fizerem isso extremamente únicas. Sério mesmo! Quando falei sobre a idéia do post um amigo lambeu a quina da parede e falou:

"Viu? Quem é que tinha lambido esse canto de parede antes?"

Vamos ignorar essas interpretações altamente abstratas do que eu digo pra lá..voltemos aos itens/dicas:


Meta pra vida alheia #1: Atravessar o Brasil de ponta à ponta pulando pelos galhos de árvores, sem tocar no chão uma única vez

Importância: caramba, e precisa dizer? Ia chamar a atenção do mundo pro desmatamento que nós sofremos todos os dias!!! Se vc tiver que parar a sua viagem por conta de uma queimada então, nossa... o país vai parar contigo (é..isso não é muito significante..tudo é motivo pra parar por aqui rsrsrs ainda mais no Rio hahaha )


***************************

Meta pra vida alheia #2: Descer o rio Amazonas numa boia..ou melhor, numa câmara de pneu de caminhão

Importância: Extremamente relevante e pertinente! Nem precisava explicar, acho que os leitores do blog, no alto de suas sabedorias pensantes, já devem ter percebido isso...mas vou explicar, caso vc seja um desavisado que encontrou o link deste blog por acaso: é importante para que as pessoas vejam como o mundo nos dá coisas grandiosas e bonitas e como temos que zelar por elas


***************************


Meta pra vida alheia #3: Resolver o último teorema de Fermat usando matemática do ensino médio

Importância: Ahhh nem vou comentar isso =P



Acho que tá bom... não tive mais nenhuma grande meta pra vida alheia passível de descrição minuciosa além dessas. Fiquem a vontade para implementá-las, ou mesmo para sugerirem outras.

=)


quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Escambo

Cacete,

por que "todo mundo" tenta me catequizar? Será que eu tenho cara de ovelha desgarrada, de pessoa carente e perdida à procura de ajuda espiritual..qualquer coisa parecida que necessite da palavra de alguém que eu nunca vi e acredito que nunca vou ver, que nunca vai me chamar pra tomar uma cerveja (e não chamará o papa, muito menos)?


Estou encolerizado esta semana...rsrsrs ( embora o post anterior tenha sido de brincadeira =)

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

A velha firifinféia - meio tempo

Vou começar já replicando... por que aí vcs já perdem logo o fôlego e não têm mto tempo pra refletir direito ( e eu saio parecendo ter razão de sobra =)

Fui dolorosamente criticado por ter dividido o post da velha firifinféia em dois. Criticado fui não pela minha preguiça, mas por ter me valido de uma tática de marketing tão batida, tão...folhetinesca(!!!): a de criar suspense em cima de histórias, contos e causos. Não era essa a intenção... a bem da verdade, era, mas acredito que as críticas me foram feitas muito mais por pessoas curiosas do que qualquer outra coisa.

É, é isso mesmo... meu post de hoje é um dedo em riste apontado diretamente à face dessas pessoas alcoviteiras! Vcs só fazem isso por que não tem o prazer de poder xingar diretores de filmes que deixam naquele final a sensação de

"puts...o filme vai ter sequência... vou ter que esperar mais um ano, droga"

ou livros intermináveis, best-sellers lançados em um milhão de partes.

E um aviso: eu não vou mudar o estilo que eu não tenho por causa dessas críticas!!! Parem de me alfinetar, leitores de blogs que não sabem esperar!!!


Aí, viram? O final da história acabou ficando prum terceiro post... nem era minha intenção


=P

sábado, 10 de outubro de 2009

A velha firifinféia (post #1)

Saí com a minha mãe no dia do aniversário dela. Aproveitamos a ida pra ir numa exposição. Chegamos lá e fomos praticamente abduzidos por uma contadora de histórias.

A idéia é bem legal, olha só: vc entra numa sala que parece uma sala de pré escola (cheia de desenhos e colagens pendurados nas paredes, giz de cera , mesas para crianças e um violão), faz uma "ginástica" que vai te aquecer pra ouvir o conto, depois vc venda seus olhos e ouve a história. Legal, não? Lá no ccbb de sampa foi onde tudo isso aconteceu. Só queria contar o conto que ouvi pra vcs, é bem breve


Antes de tudo, já digo: não sou bom contador de histórias...eu me perco, antecipo o final, esqueço detalhes importantes.. a história fica toda sem nexo. Talvez escrevendo eu consiga ser mais coeso


Num reino bem rico, localizado onde hoje está a Rússia, vivia um rei que tinha 3 filhos....

AAhh cansei..desisto.. Vou colocar aqui a história que minha mãe me contava quando eu era pequeno. Não que ela só soubesse essa história, mas eu sempre pedia pra ela contar a mesma, então =) Vou dividir em partes, por que ando meio sem tempo pra escrever muito


A velha firifinféia (parte #1)


No meio de uma floresta existia uma casa beeem bonita, de uma velha, a velha firifinféia. A velha cultivava várias bananas bem gostosas, as quais eram tratadas com todo carinho. No entanto ela tinha um problema: um macaco mto sacana que lhe roubava bananas que eram cultivadas. A velha ficava mto mto brava com ele, mas ele sempre ia lá e roubava umas bananas.

Até que um dia a velha resolveu pagar uns policiais pra dar um sumiço no macaco.. brincadeira.. deixa eu voltar pra história

Até que um dia a velha resolver dar uma lição no macaco. Ela pensou, pensou até que...


" aaaahh sim...agora eu pego aquele macaco safado"



A velha fez então um boneco de piche. Mais exatamente, um macaco de piche. O fez e o deixou no meio da plantação de bananas.





O fim da história fica pro próximo post =)

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Sob(re) a chuva

Olá pessoas!!! (nossa..isso soou meio falso...vou começar de novo)

Saudações octadecimais à todos! Espero que estejam todos felizes e quentinhos em suas casas, por que aqui está um frio que chega a ser desagradável!

Bem, vcs haviam imaginado que eu estava perdido pelo mundo, que tinha esquecido de vcs ou algo do tipo. De fato, o post anterior diz tudo. Não vou mais tecer comentários inúteis (realmente, se isso fosse sincero eu não teria mais um blog =)

É engraçado aqui no Rio. Quando chove eu fico triste. Mas fico triste por que todo mundo parece triste!!! O porteiro, o cobrador de ônibus (em carioquês: trocador), e até os pobres animais!

Lá em São Paulo não era assim (e segundo algumas conversas, em países com neve também): acho que nestes lugares as pessoas já compreendem a chuva e o frio como parte das suas vidas. Aqui não: choveu, a cidade fica feia. E as pessoas tristes, inconformadas e cabisbaixas. É uma chuva lá fora e outra dentro de cada indivíduo que anda pela cidade, tenha ele um guarda-chuva pra se proteger ou não (oque é às vezes mais um motivo pra ficar triste... que o diga sair da cama de manhã.. até isso é horrível aqui...aliás, aqui e em qualquer lugar do mundo =)




Por hoje é só pessoal.... au revoir =0

Antes de tudo

Só porque eu não ando postando não significa que eu desisti do blog!!!




Bom dia a todos,

=)

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Being Holden Caulfield

Muita gente conhecida diz que "o apanhador no campo de centeio" fez parte de sua vida, ou mesmo a mudou pra melhor. Já li o livro uma vez, quando era mais novo, mas ele não me fez nada... não consigo nem me lembrar do que se tratava, só que tinha o tal do Holden ( o personagem principal).

Pra vcs verem que eu não estou enrolando ninguém (algo que, de forma alguma, eu faria com vcs =) vejam isso ... o cara que matou o John Lennon, o cara que matou não sei mais quem...todos associados a este livro. Caramba, daria até medo começar de ler. Daqui a pouco eu iria sair por aí dizendo bem alto "eu sou o Holden!!!"

Nãããão... eu não faria isso =)

O livro, no entanto, tem umas passagens interessantes e engraçadas. Vou descrever o protagonista em algumas palavras: um moleque chato que não gosta de nada. Se eu fosse o Holden e estivesse postanto este mesmo post, o post começaria assim..péra...deixa eu escolher alguma frase da internet... peguei do site da Folha de São Paulo, sobre a candidatura nonsense do Rio como sede dos jogos Olímpicos de 2000 e não sei quanto

"Começou às 3h30 desta sexta-feira (horário de Brasília), em Copenhague, na Dinamarca, a cerimônia que escolherá a sede dos Jogos Olímpicos de 2016, na qual concorrem Rio de Janeiro, Madri, Chicago e Tóquio.


A primeira cidade a defender sua candidatura é Chicago, que conta com o apoio do astro do basquete Michael Jordan e com a presença de última hora do presidente americano, Barack Obama, que viajou à Dinamarca especialmente para o evento."


Agora, a versão do Holden

"Ontem, sexta, começaram a decidir, lá em Copenhague, quem será a sede dos Jogos Olímpicos de 2016. Rio de Janeiro, Madri, Chicago e Tóquio concorrendo.


Eu odeio jogos olímpicos. É muito idiota todas aquelas pessoas balançando bandeiras coloridas num estádio colorido. Ok, foi muito legal quando eu fui com minha família assistir as jogos de vôlei nas Olimpíadas de Munique; poderia mesmo dizer que foi algo inesquecível, já que meu irmão que faleceu estava com a gente. Mas tudo aquilo, aquelas pessoas pomposas... e eu odeio cerimônias que começam com tochas. Odeio mesmo. Isso me mata, isso é como se pisassem nomeu pé.


Levaram o Michael Jordan pra defender a candidatura. Adorava ver o Michael Jordan jogando. Adorava mesmo. Eu imaginava o quanto deveria ser legal dar aqueles pulos que ele dava com os braços esticadaços... mas oque ele está fazendo lá? Ele deveria estar visitando creches, virado político, mas ir numa viagenzinha dessas pra defender uma candidatura de uma cidade suja pra ser sede de jogos olímpicos? Tenha dó!!! Odeio gente que faz isso... será que elas não percebem o quão idiota isso é?"


Bem, este seria o Holden... Acho até que fui realista demais...rsrsrs

Agora vcs já têm uma idíea de como é o Holden. Vou então descrever passagem que ele fala um negócio muito engraçado. O contexto é o seguinte: ele está para chamar uma menininha pra sair..ele nem gosta muito da menina, ou se sente atraído por ela, mas como ele está sozinho num quarto de hotel, e não pode ir pra casa, ele liga e sugere um encontro. Ela responde de forma muito feliz...algo como um "claro que aceito" e ele começa a criticar... dizendo que odeia pessoas que falam "claro que isso, claro que aquilo"..

Aí vem a parte engraçada... ele começa mais ou menso assim:

" Vc sempre consegue descobrir logo de cara aquelas pessoas chatas, idiotas.... o problema são aquelas pessoas que lêem muito mais do que vc, que são meio descoladas...é difícl anaisá-las e talvez vc nunca perceba que elas são idiotas. Eu demorei muito pra perceber que essa menina pra quem eu liguei era uma idiota. Alguns anos na verdade"

hahaha.. ri muito lendo isso, e acho que é uma grande verdade... aquelas patricinhas descoladas qeu gostam de falar de miséria e andar em audis blindados, ou aqueles caras arrogantes que se vendem como super simpáticos pra todo mundo rsrsrsrs

Uma boa tarde ensolarada (ao menos aqui em sampa) pra todos,

um abraço cheio de sensualidade eletrônica precoce, bits perversos e maliciosos ,

Holden...ops.. rafa =)




ps: eu não consegui ingressos pro show do ac-dc!!!! Ahhhhhhhhhhh.. que momento de tristeza extrema

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Inspiração

Hoje eu estava procurando por algo que me inspirasse. Nem sempre é fácil se encontrar isso. Acho que todo mundo percebeu que eu não ando muito inspirado, com uns papos idiotas de "piscinas que não existem ou que estão inclinadas", "lasanhas que somem"... realmente, na minha vida e na minha cabeça acontecem coisas muito idiotas (não posso fazer nada).. mas isso não resolve o problema da inspiração.

Infelizmente, inspiração não vende na farmácia, não fica escondida ou perdida atrás da cama..acho que esse tem sido o problema. Oque será que eu faço?!!! As pessoas já devem estar se perguntando:

"caramba, o blog dele está afundando já... passou dos 1000 curiosos, mas está lentamente falecendo e indo pro céu dos blogs" ,

ou coisas do tipo

"nossa..os textos dele estão cada vez piores"

rsrs.... como diz um famoso político paulista, tudo isso são calúnias!!!! O blog continua bem, limpinho, indo pra escola sozinho, coisas do tipo. Tá certo que ele também anda rindo das próprias piadas ultimamente, mas ...é...tô fugindo do assunto. As inspiração não veio e eu não consegui escrever nada que prestasse antes da aula.

Por sinal, vou indo, pq já estou atrasado... =P

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Natação

Nadar é muito bom. Eu adoro toda vez que saio da piscina. Odeio entrar nela, de fato... é uma espécie de entrar no banho em dia frio, mas depois que vc entra, aquela água quentiiiinha, vc não quer sair mais.

O meu post é um post científico...ou anticientífico, que seja. É sobre algo que não faz mto sentido pra mim e , acredito, não fará pra vcs.

Reparei que ir em um sentido da piscina sempre me parece mais difícil que ir no outro.... Vc já deve ter percebido que eu devo ficar nadando ida-e-volta-ida-e-volta (o que pode parecer idiota) um milhão de vezes... mas sempre tenho este problema do "sentido de deslocamento privilegiado". Pode até parecer que a piscina é meio inclinada, e que na verdade quando eu nado num sentido eu desço (oque facilita as coisas, certamente) e noutro subo....mas isso não faz muito sentido.... mas eu acho que essa é a melhor hipótese (se meu professor de dinâmica de fluidos visse isso ele me estrangulava rsrsrs)! Não há outra explicação (!!!!!): eu não nado diferente conforme o sentido que me desloco, da mesma forma que não ando diferente quando ando pro norte ou pro sul. Outra explicação boa é alguma corrente que a piscina crie em algum sentido... mas aí a água ia se acumular num dos lados e a piscina... nonsense tbm. Caramba, por que pensar tanta besteira?

Este post vai ser mais um da série de coisas misteriosas que andam acontecendo na minha vida (como no caso da lasanha que sumiu, misteriosamente), pras quais estou tentando buscar soluções e explicações. Eu já tenho muitos problemas por mim mesmo, até pode parecer falta do que fazer, mas entender o comportamento da piscina não é explicar pq existe gravidade nem nada disso... é só uma inquietação efêmera, que eu esqueço assim que saio da água (que eu me esforcei pra não esquecer antes de poder postá-la)...

=)


sábado, 26 de setembro de 2009

A menina que comeu o cabide

Dos amigos que eu tive na infância, ela era a mais diferente. As outras mães, inclusive a minha, no começo estranharam, acharam que era uma aberração ou mesmo algo que não poderia estar no convívio das outras crianças, filhos "felizes e perfeitos". Passou um tempo e , como toda criança, aquela ali não era senão outra delas: pulava, corria, brincava...mesmo tendo um cabide preso à boca.

Os médicos tentaram convencer a mãe de que a cirurgia não afetaria a sanidade da menina, mas ela não acreditava. O país inteiro por muito tempo explorou aquela história, vendeu jornais e mais jornais, levou psicólogas em programas dominicais e mulheres desvairadas alegando que o estado deveria tomar a criança sob custódia. O tem, no entanto, pôs panos quentes naquilo tudo e ela aparecera ali, na escolinha que eu estudava.

Uma professora se recusou a dar aulas, mas os tempos eram difíceis, vc bem sabe: Collor, impeachment, plano Sarney, inflação... enfim, antes o dinheiro no fim do mês e dar aulas pr'aquela menina do que ficar a ver navios ( pela tv , já que era em são Paulo... ou melhor, não vê-los, caso a luz fosse cortada por falta de pagamento).

A relutância foi grande, a resitência ferrenha, mas a resignação sempre vence e, no fim das contas, a menina e seu cabide preso na boca viraram um símbolo da infância que todos os professores acreditavam que nós transpirávamos. Não sei se a questão toda era o cabide, mas era tudo muito enigmático. Olhar pra ela era enigmático no princípio, mas depois era só um motivo para dar uma risada no meio da aula, e levar uma bronca da professora Lídia por fazer baderna.

A menina se chamava Gabriela. Era engraçada ela: parecia uma criança como todas as outras, apesar de não participar das aulas de educação física. Ela até podia se alimentar com os lanches da cantina, nada a distinguia dos outros, exceto pelo detalhe aparente, pendendo no seu rosto.

Guardo até hoje a foto da turma em que ela saiu assim, de frente, sorrindo.
Era bonito: ela sorria e parecia que o cabide sorria junto. Ok, é claro que o cabide não adquirira vida por conta da pequena garota, mas adoro vê-la naquela foto com sua franjinha caída pro lado esquerdo da testa, seu sorriso preso na boca, seu cabide sorrindo.

Não sei que fim ela teve. Ou, como algumas mães diziam , que fim a menina e o cabide tiveram. Se referiam a ela como "eles": ela e o cabide. Mas retornando ao assunto: não sei que fim tiveram a menina e seu cabide. Alguns dizem que ela foi morar no Chile, outros que casou e teve filhos que frequentavam o psicólogo um longo tempo por não terem nascido com cabides igualmente interessantes presos nas suas bocas. A Juliana, que era muito próxima a ela e à sua família, me disse que elas perderam contato na adolescência, mas que a Gabriela havia começado a se envolver com música e tocar o seu cabide como se fosse um xilofone, e que o som era incrível!!! Aí são só rumores..parece que ela arrumou um namorado meio hippie e, preterindo as salas de concerto, ela saiu pelo mundo com ele, tocando nas ruas das grandes cidades da Europa, da América do Sul, e de outros países, sem se fixar em lugar algum! Era ela, sua música, seu cabide.


Espero que ela esteja feliz... oppppss...que continue feliz.

=)

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Sobre o golpe em Honduras

Hoje eu soube que o presidente de Honduras está na embaixada brasileira (em Honduras). Não sei como ele chegou lá: se entrou no país e saiu correndo desesperadamento no estilo pega-pega até o primeiro lugar neutro que encontrou, ou se tem algum esquema brasileiro por trás dessa.

Pra falar a verdade, eu nem sei se isto está acontecendo mesmo! Foi o pessoal de onde eu estudo que me contou..como tem um cara de Honduras lá que confirmou a história eu acho qu é verdade! Golpes de estado devem ser coisa muito muito escrotas... uma epécie de feriado forçado no qual vc não pode sair de casa nem pra ver a namorada, comprar um pão ou ir pegar um filme senão vc pode levar uma coça dos militares, voltar com a perna quebrada.... e ainda tiram o presidente do poder.... devem ser dias bem tristes (não estou defendendo as pessoas que levam golpes.... só estou falando da sensação que deve ser).


O estranho e surpreendente é que um dia destes eu estava em algum lugar que tinha tv e vi quem? Ahh não podia ser outro senão o presidente de Honduras!!! Achei, à princípio, que se tratasse de algum vaqueiro muito rico que estava sendo entrevistado. Sabe, canal rural? É, bem isso...se vc não sabe, imagine um canal que fala de boi, de esperma de boi, de vaca, da reprodução da vaca, dos filhotes das vacas... tudo que vem de bovinos...até a propagandas devem ser relacionadas.. mas voltando, o presidente de Honduras estava com um baita dum chapéu de vaqueiro, tinha um bigode tipo o do cara daquela batata pringles (é assim que se escreve?) e pareci falar meio com sotaque do interior...isso que eu nem falo espanhol! Mas detectei ( sagaz isso, não? =)


Nem sei pq postei isso...acho que é pra alertar vcs, no sossego dos seus lares, sobre tudo e sobre "nada" ao mesmo tempo... presidentes-vaqueiros, golpes de estado, esperma de boi na tv, chegada do homem à lua e ataris....



O mundo anda muito inquieto, no geral

=/