quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Natação

Nadar é muito bom. Eu adoro toda vez que saio da piscina. Odeio entrar nela, de fato... é uma espécie de entrar no banho em dia frio, mas depois que vc entra, aquela água quentiiiinha, vc não quer sair mais.

O meu post é um post científico...ou anticientífico, que seja. É sobre algo que não faz mto sentido pra mim e , acredito, não fará pra vcs.

Reparei que ir em um sentido da piscina sempre me parece mais difícil que ir no outro.... Vc já deve ter percebido que eu devo ficar nadando ida-e-volta-ida-e-volta (o que pode parecer idiota) um milhão de vezes... mas sempre tenho este problema do "sentido de deslocamento privilegiado". Pode até parecer que a piscina é meio inclinada, e que na verdade quando eu nado num sentido eu desço (oque facilita as coisas, certamente) e noutro subo....mas isso não faz muito sentido.... mas eu acho que essa é a melhor hipótese (se meu professor de dinâmica de fluidos visse isso ele me estrangulava rsrsrs)! Não há outra explicação (!!!!!): eu não nado diferente conforme o sentido que me desloco, da mesma forma que não ando diferente quando ando pro norte ou pro sul. Outra explicação boa é alguma corrente que a piscina crie em algum sentido... mas aí a água ia se acumular num dos lados e a piscina... nonsense tbm. Caramba, por que pensar tanta besteira?

Este post vai ser mais um da série de coisas misteriosas que andam acontecendo na minha vida (como no caso da lasanha que sumiu, misteriosamente), pras quais estou tentando buscar soluções e explicações. Eu já tenho muitos problemas por mim mesmo, até pode parecer falta do que fazer, mas entender o comportamento da piscina não é explicar pq existe gravidade nem nada disso... é só uma inquietação efêmera, que eu esqueço assim que saio da água (que eu me esforcei pra não esquecer antes de poder postá-la)...

=)


sábado, 26 de setembro de 2009

A menina que comeu o cabide

Dos amigos que eu tive na infância, ela era a mais diferente. As outras mães, inclusive a minha, no começo estranharam, acharam que era uma aberração ou mesmo algo que não poderia estar no convívio das outras crianças, filhos "felizes e perfeitos". Passou um tempo e , como toda criança, aquela ali não era senão outra delas: pulava, corria, brincava...mesmo tendo um cabide preso à boca.

Os médicos tentaram convencer a mãe de que a cirurgia não afetaria a sanidade da menina, mas ela não acreditava. O país inteiro por muito tempo explorou aquela história, vendeu jornais e mais jornais, levou psicólogas em programas dominicais e mulheres desvairadas alegando que o estado deveria tomar a criança sob custódia. O tem, no entanto, pôs panos quentes naquilo tudo e ela aparecera ali, na escolinha que eu estudava.

Uma professora se recusou a dar aulas, mas os tempos eram difíceis, vc bem sabe: Collor, impeachment, plano Sarney, inflação... enfim, antes o dinheiro no fim do mês e dar aulas pr'aquela menina do que ficar a ver navios ( pela tv , já que era em são Paulo... ou melhor, não vê-los, caso a luz fosse cortada por falta de pagamento).

A relutância foi grande, a resitência ferrenha, mas a resignação sempre vence e, no fim das contas, a menina e seu cabide preso na boca viraram um símbolo da infância que todos os professores acreditavam que nós transpirávamos. Não sei se a questão toda era o cabide, mas era tudo muito enigmático. Olhar pra ela era enigmático no princípio, mas depois era só um motivo para dar uma risada no meio da aula, e levar uma bronca da professora Lídia por fazer baderna.

A menina se chamava Gabriela. Era engraçada ela: parecia uma criança como todas as outras, apesar de não participar das aulas de educação física. Ela até podia se alimentar com os lanches da cantina, nada a distinguia dos outros, exceto pelo detalhe aparente, pendendo no seu rosto.

Guardo até hoje a foto da turma em que ela saiu assim, de frente, sorrindo.
Era bonito: ela sorria e parecia que o cabide sorria junto. Ok, é claro que o cabide não adquirira vida por conta da pequena garota, mas adoro vê-la naquela foto com sua franjinha caída pro lado esquerdo da testa, seu sorriso preso na boca, seu cabide sorrindo.

Não sei que fim ela teve. Ou, como algumas mães diziam , que fim a menina e o cabide tiveram. Se referiam a ela como "eles": ela e o cabide. Mas retornando ao assunto: não sei que fim tiveram a menina e seu cabide. Alguns dizem que ela foi morar no Chile, outros que casou e teve filhos que frequentavam o psicólogo um longo tempo por não terem nascido com cabides igualmente interessantes presos nas suas bocas. A Juliana, que era muito próxima a ela e à sua família, me disse que elas perderam contato na adolescência, mas que a Gabriela havia começado a se envolver com música e tocar o seu cabide como se fosse um xilofone, e que o som era incrível!!! Aí são só rumores..parece que ela arrumou um namorado meio hippie e, preterindo as salas de concerto, ela saiu pelo mundo com ele, tocando nas ruas das grandes cidades da Europa, da América do Sul, e de outros países, sem se fixar em lugar algum! Era ela, sua música, seu cabide.


Espero que ela esteja feliz... oppppss...que continue feliz.

=)

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Sobre o golpe em Honduras

Hoje eu soube que o presidente de Honduras está na embaixada brasileira (em Honduras). Não sei como ele chegou lá: se entrou no país e saiu correndo desesperadamento no estilo pega-pega até o primeiro lugar neutro que encontrou, ou se tem algum esquema brasileiro por trás dessa.

Pra falar a verdade, eu nem sei se isto está acontecendo mesmo! Foi o pessoal de onde eu estudo que me contou..como tem um cara de Honduras lá que confirmou a história eu acho qu é verdade! Golpes de estado devem ser coisa muito muito escrotas... uma epécie de feriado forçado no qual vc não pode sair de casa nem pra ver a namorada, comprar um pão ou ir pegar um filme senão vc pode levar uma coça dos militares, voltar com a perna quebrada.... e ainda tiram o presidente do poder.... devem ser dias bem tristes (não estou defendendo as pessoas que levam golpes.... só estou falando da sensação que deve ser).


O estranho e surpreendente é que um dia destes eu estava em algum lugar que tinha tv e vi quem? Ahh não podia ser outro senão o presidente de Honduras!!! Achei, à princípio, que se tratasse de algum vaqueiro muito rico que estava sendo entrevistado. Sabe, canal rural? É, bem isso...se vc não sabe, imagine um canal que fala de boi, de esperma de boi, de vaca, da reprodução da vaca, dos filhotes das vacas... tudo que vem de bovinos...até a propagandas devem ser relacionadas.. mas voltando, o presidente de Honduras estava com um baita dum chapéu de vaqueiro, tinha um bigode tipo o do cara daquela batata pringles (é assim que se escreve?) e pareci falar meio com sotaque do interior...isso que eu nem falo espanhol! Mas detectei ( sagaz isso, não? =)


Nem sei pq postei isso...acho que é pra alertar vcs, no sossego dos seus lares, sobre tudo e sobre "nada" ao mesmo tempo... presidentes-vaqueiros, golpes de estado, esperma de boi na tv, chegada do homem à lua e ataris....



O mundo anda muito inquieto, no geral

=/

domingo, 20 de setembro de 2009

O incrível caso misterioso do desaparecimento da lasanha

Hummm o post de hoje é um post misterioso. É o que chamamos de "post misterioso com título misterioso......por trás d euma nuvem misteriosa.." Ok Ok...já conto do que se trata.

Madrugada pós balada na lapa (os cariocas chamam de maneira mais acaipirada: night rsrsrs)!


Eu e James ( nome fictício)... pérai, vcs podem escolher o nome aqui....
Eu vou ser eu mesmo, pq não tem como escolher um outro pronome. para se referir à minha pessoa ( ficar me chamando de ele? Ela? Nonsense demais, mesmo pra mim=)

O meu colega pode ser

a) Francisconaldo;
b) James;
c) Roberval;
d) Carlos Alberto;


Escolherei o nome James, pois... é ... não importa o porquê.

Continuando, fui pra lapa com uns amigos e, como o James mora por lá, resolvi dormir na casa dele. Fim de balada, nos encaminhamos à sua residência, na qual chegamos lá pelas 5 da manhã. Ele estava realmente fora de si, muito alterado pela vodka, falando alto e tudo mais. Eu já não estava tão louco assim: só ficara na cerveja naquela noite misteriosa.

Entramos no ap, e começamos a falar da noite: gte dançando mto empolgada, francesas simpáticas que se tornam antipáticas (algo que se deu misteriosamente), mulheres, pessoas, vodka, o barman que parecia o lulu santos (essa é outra história boa rsrsrs). Ele vira e fala:

"Pô maluco, to com fome.... Vou comer uma lasanha..."

Já eram 5 e meia da manhã! Eu nem com fome nem nada. Só o vi tirando a lasanha do freezer, jogando a embalagem muito longe e, de dentro dela, saindo uma nuvem misteriosa (que deixou o quarto com tanta neblina que a história a partir daqui começa a se tornar, realmente, misteriosa).

A lasanha começou por cair em seu pé, duramente congelada ( como há de se esperar dos congelados)... eu fui lavar o rosto e tentar escovar meus dentes com uma escova imaginária, já que não tava em casa.


[Tic][Tic][Tic][Tic] .... [ZZZZZzzuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu]

O microondas fora ligado....

Voltei pra sala e peguei o colchão inflável para fazer minha cama....

[Enche][enche][enche]
[pára][ conversa]

o James fala alto que só, o maluco bebeu mta vodka...a vodka faz vc perder a linha

[enche de novo][pára]
[conversa e enche parando de conversar]

... até que eu olho para o display do microondas com esforço, em virtude da neblina misteriosa que me anuvia a vista e reparo:

"Velho!! Se tá doido? Vc colocou o microondas pra esquentar mais de 40 minutos!!!"

"Puts...só precisava ser uns 4.." Alto...bem alto (em todos os aspectos rsrs)

Caminhei pela neblina em direção ao microondas para desligá-lo

" Cara, come logo isso, vc tá meio mal"

...e abri a porta daquele misterioso aparelho eletrônico


[Mistério][James rindo sozinho]

"Cara, não tem nada aqui....não tem nada dentro do microondas..."

[Silêncio]
[Neblina misteriosa]

"....cadê a lasanha? Velho, oque que vc fez com a lasanha?!!!"


Saímos procurando pela casa: freezer, cozinha... não confio no bom senso do James (mesmo ele não sendo muito velho...não vou divagar muito - qqr coisa veja este post): comecei
a procurar dentro da máquina de lavar, debaixo do travesseiro da cama dele, embaixo da cama.... a lasanha simplesmente sumira!!!

[Mistério]
[Silêncio]
[Mistério]
[Mais mistério]


Quem souber resolver este mistério, por favor: fique à vontade para comentários.




=0


sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Um desprezível e pequeno passo para a humanidade, um grande passo para este blog

Ultrapassamos a marca de 1000 curiosos!!!! =)


Incrivelmente, o blog sobreviveu e não foi pro céu dos blogs, eu não cortei meus pulsos antes da prova que ainda não foi e tudo segue na mesma de sempre... podiam ter adiado minha prova por conta deste efêmero momento de alegria e felicidade coletiva.

Um grande passo, realmente.... mas vcs podem muito bem pensar que eu paguei umas cervejas pr'umas pessoas acessarem o blog, ou mesmo para comentarem meus posts(desmintam por favor... eu pago o dobro rsrsrs). De fato, vcs nunca vão saber a verdade, se foi uma encenação mesmo e vão ter que dormir com esta dúvida cruel....e banal (não tenho como disfarçar isso =)

E falando nisso, me disseram algo importante estes dias; lembrei por estar rememorando uma frase clássica da chegada do homem à lu. É bem este o ponto: o homem chegou lá na década de 69... mas o atari foi lançado na década de 80... pqp, como eu não tinha me tocado disso!!! Como eles conseguiram esta façanha? Nem o Macgyver conseguiria isso, montar uma espaçonave com um cortador de gramas, um cofre e uma caneta bic preta....


Hummm instiguei a dúvida em vc agora, acredito....nossa...a dúvida corrói suas entranhas e deteriora sua existência agora... vc está completamente perdido e perdeu toda a crença na parca ciência que vc conhecia dos cadernos coloridos e lúdicos que vinham no jornal de domingo falando sobre física e genética....

Bem, eu tbm estou: tudo isso tem tirado meu sono e apurrinhado meus dias... acho que fomos vítimas de uma grande e elaborada fraude!!!

Vai ver a lua nem é lua mesmo, e sim um grande isopor pendurado por umas linhas transparentes.... e a chegada do homem à lua (ou ao que chamam de lua) não passa de uma ida a algum lugar ermo do deserto chileno.


Mas rapidinho, antes que os homens venham(!!!!): se eu sumir nos próximos dias por que revelei a todos esta grande sujeirada, saibam que não me arrpendo, e que os governantes não querem que eu fale a verdade. Estou correndo um risco por causa de vcs!!! Tudo por uma notícia!! Tudo pelos meus comentários infâmes, imprecisos e tendenciosos!!!

=)

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Outono

Parece que minhas folhas estão caindo e eu,
como uma sequóia de porte mediano,
não enxergo mais meus pés,
ou o que chamo de pés.

Acordo tentando mexer meus braços e
afastar os passarinhos que fazem ninhos nos meus galhos
(e me matam de cócegas, consequentemente),
afastar os cupins que me dão coceira,
e me proteger so sol com uma sombrinha imaginária
(já que neste momento, me carecem folhas).

Minha visão falha,
não enxergo os que trazem seus cachorros pra urinar nas minhas raízes,
não ofereço sombra pros que querem fazer piqueniques abaixo de mim,
não ofereço lenha para os que passam frio,
pois minha madeira está úmida
e não cessa de chover no interior do meu tronco.

Não possuo pernas para sair correndo,
nem um mp3 player de árvores para me ajudar a passar o tempo,
nem livros- "pocket" livros que eu possa ler sob um abajur-poste



afff... vou parar com isso e voltar a estudar,
antes que eu corte meus pulsos =P

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Getting better

Rárááá... 4 pessoas seguem o blog neste momento!!!!

Não fosse a ressaca da última saída minha eu tomava uma dose de tequila comemorativa.



Sinto-me realmente lisonjeado com vossas visitas, seres anônimos do espaço dos bits e spams!!!


Fazendo uso da frase do saco de pães, voltem sempre!


....e tenham uma boa manhã não chuvosa.

=)




ps: mudei o nome do post... o antigo foi só pra brincar com aquela cena bizarra do stallone na qual toca Eye of the tyger no fundo..mas fiquei incomodado, so...

sábado, 12 de setembro de 2009

Como os antigos - post #3

Dando continuidade ao post # 2(neste link) e finalizando a série


Pequeno teorema #1: a quantidade de manias que uma pessoa possui só aumenta no tempo; ou seja, m(t) nunca está decrescendo.



Prova: esta prova segue as clássicas provas filosóficas. Vamos lá: suponha uma pessoa, cuja função m de mania correspondente satisfaça, em instantes x e z a desigualdade m(x) > m(z). Mas então, a pessoa deixou de ter manias no intervalo de tempo [x,z], logo, ela levou um milhão de puxões de orelha ou mais nesse meio tempo. Como levar um milhão de puxões de orelha é algo impossível em tempo finito, isso não acontece. Logo, m nunca está decrescendo.



Este resultado, nem um pouco trivial, dá uma mostra clara do por que pessoas envelhecem e se tornam duras e difíceis, como crianças. No gráfico acima, à esquerda, o indivíduo não verde (não sei que cor é essa, sorry) se torna na velhice uma pessoa com muito mais manias que o indivíduo verde.



Pequeno teorema #2: a vitalidade de uma pessoa está sempre decrescendo.


Prova: segue trivialmente da definição, de vitalidade pois a cada momento estamos mais próximo do nosso fim (por exemplo, num minuto você começa a ler este trecho eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee...... no final você já tem menos vitalidade).
O gráfico ao lado mostra a função vitalidade de dois indivíduos. Vê-se claramente que o indivíduo verde é muito mais vigoroso do que o indivíduo azul (chamarei essa cor desconhecida de azul).



Observação: é comum as pessoas confundirem vitalidade com jovialidade; na nossa teoria há uma diferença clara entre as duas coisas.


Pequeno teorema #3: a quantidade de bom senso se caracteriza por uma fase de crescimento e outra de decaimento, podendo variar de pessoa pra pessoa a duração e época de cada um desses acontecimentos.

Prova: outra célebre prova analítica, na qual trabalharemos por contradição. Suponhamos um indivíduo com função bom senso b, na qual b sempre cresce. Então, o indivíduo iria ter o seu bom senso crescendo o tempo todo, mas, se isso acontecesse ele teria bom senso o bastante para não ir acumulando manias, algo pra lá de inevitável. Logo b não está sempre crescendo.
Agora suponha que b esteja sempre decrescendo. Isso não ocorre, pois um indivíduo começa com bom senso zero...seria como se ele não tivesse desenvolvido em nada (nem mesmo chegado a interagir com o mundo, ou abrir o olho...) algo que não ocorre.

Para finalizar a prova, mostraremos que b só cresce uma vez, o que caracterizaria uma curva com um decaimento nas extremidades. Para isso faremos uso do seguinte lema

Lema 1: o bom senso de uma pessoa só cresce em uma única fase da vida.

Prova: suponha que existam dois intervalos [a,b] e [c,d] onde seu bom senso de uma pessoa aumente. Mas é trivial demonstrar que um indivíduo que tem duas fases de crescimento de bom senso contraria todos os postulados da "nossa" teoria, dado que ele poderia voltar a ser a mesma pessoa (no âmbito de conhecimentos extrasensoriais acumulados ) que ele já foi um dia, oque , de fato, nunca acontece. O teorema segue diretamente do lema acima.



Agora o grande teorema da noite

Teorema principal: m(t) +b(t) + v(t) é constante ao longo da vida de um indivíduo.

Prova: a técnica desta prova é um pouco mais contundente e avançada que as anteriores, sendo daquelas que você realmente sai sem entender como o autor chegou ao fim da prova e concluiu algo que você nem de longe viu. As técnicas utilizadas são: consenso universal, apelo a palavras difíceis e fora de contexto e declarar coisas difíceis como triviais.

Definamos H(t) = m(t) + b(t) + v(t). Suponha que H não seja constante ao longo da vida de um indivíduo. Existem então pelo menos dois pontos t_1 e t_2 tão pequenos quanto quisermos para os quais

H(t_1)
< H(t_2)

(consideraremos o caso H(t_1) > H(t_2) adiante).

Podemos então, holísticamente, ver o problema da seguinte maneira: analisar H(t_2) - H(t_1) >0 .Veja que


(**) H(t_2)- H(t_1) = {m(t_2) - m(t_1)} + {b(t_2) - b(t_1)} + {v(t_2) - v(t_1)} >0


No entanto note que o primeiro termo é não-negativo, i.e., maior ou igual a zero (pois a função mania não decresce); o segundo termo também, é positivo pois, apesar de b não ser estritamente crescente, nunca sabe quando ele vai decair, não? Bem, o terceito é não-positivo (pois a vitalidade é não crescente), mas como t_2 - t_1 é tão pequeno quanto desejarmos, então v(t_2) está próximo de v(t_1). Logo estamos falando de um termo que realmente é negativo, mas muuuuuuito próximo de zero. Ahhhh, então a desigualdade em (**) é válida(!!!).

O caso H(t_1)> H(t_2) é resolvido de forma análoga, resolvendo a mesma desigualdade para uma anti-pessoa e definindo uma outra função H correspondendo a ela.





Com isto finalizamos a nossa série em homenagem ao Kant. Fiquem à vontade para comentar os resultados e implicações deste post (ou mesmo criticá-los).


=)


terça-feira, 8 de setembro de 2009

Fábulas com MM´s

Um MM VERMELHO em cima de uma montanha. Ele parece ser velho, tem uma barba branca...não se sabe bem se é uma barba aquilo, por conta do formato do seu corpo ... ele coça a barriga (ou tenta limpar o umbigo, não se sabe ao certo).


... um sol quente, mas não sol de deserto... um barulho de passos... "Alguém deve estar à caminho". O mm vermelho olha para o lado...só um cavalo.

wuuuuuuuuuuuuuuuuuwwwwwwwwww....vento na orelha do MM VERMELHO... um barulho de trote de cavalo..."alguém vindo".. ele olha para a direita...olha para a esquerda... o carro do homem do sorvete.

"Flocos"

Um barulho...um carro de som anunciando um circo...ele olha para o lado..o carro parece mais próximo...olha para o outro...o carro parece anunciar dentro da sua cabeça.... um M
M azul
parado na sua frente.



[Vento]

[O sol bate no rosto do MM azul e não o deixa erguer o rosto em direção ao MM VERMELHO]



"Ó sr da montanha!!! Grande MM VEMELHO!!! "


"Diga lá por que veio, senhorito MM azul! Não vês que estou a degustar um delicioso sorvete?"


"Serei breve e não hei de tomar muito do seu tempo..."


" Que seja... pergunte-me, talvez eu saiba lhe responder..."


Wuuuuuuuwwwwwwww ...um vento cheio de poeira bate...voa uma tirinha de capim seco, que fica preso no cabelo do MM azul...


"Sr MM VERMELHO... eu gostaria de saber como e quando a maldade deixará de existir no nosso mundo...é possível isso?"


[Sol]
[Silêncio]
[Só se ouvem pássaros ao longe]
[Um roçar de sandália do MM azul no chão de terra]
[Minutos]
[Mais Minutos]
.
.
.

"Há de cessar a maldade quando chover em todo lugar do mundo ao mesmo tempo.... no meeeeesmo tempo......simultâneamente!"

[Reflexão]
[Mais sol]
[Reflexão]

"Mas MM vermelho, por favor, me diga: há água suficiente no mundo para que isso ocorra?"

[]
[][]
[][][]


[][][][][][][] [][][][O cérebro do MM vermelho funciona como um pequeno tetris]



"Não....."


[Um leve eco]

"... Não há água o bastante para lavar a maldade dos homens..."

[Silêncio]
[Sol]
[Desconforto de elevador]
[Desapontamento]


"Sr MM vermelho.... Teu sorvete...está derretendo."

"Ahh sim...."

[uma lambida, que deixa o MM VERMELHO com um quase imperceptível bigode de sorvete]

"MM azul..."


[Um olhar esperançoso]

".... o sr está derretendo"


O MM azul passa a mão no seu corpo....suas mãos estão sujas de tinta azul e seu corpo azul com as marcas brancas do lugar por onde passaram suas mãos.


[Vento]
[Sol]
[Silêncio]

domingo, 6 de setembro de 2009

Há uma parte do bicicletas de belleville (à partir do minuto 4, acho, do filme abaixo) que é muito bonita. Queria falar sobre isso hoje.


No filminho, uma avó quer muito encontrar algo que agrade seu neto... a essência da coisa toda é essa. É lindo o filme....e embora este não seja um post sobre música erudita e desenhos, há citações de trechos do cravo bem temperado, de Bach (que eu já postei aqui, ó) e um trecho minúsculo da missa em dó menor (acho que é a em dó menor) de Mozart, numa parte ...humm como dizer..meio lírica talvez seja um bom termo.... onde o menino anda de bicicleta em círculos e seu cachorro corre atrás do próprio rabo, cada um num sentido ( e a missa tocando ao fundo).

Não vou ficar analisando ponto a ponto o filme... quis postá-lo por ele me ter feito sentir (mais) saudades da minha vó: a parte que o menino ganha a bicicleta era eu ganhando pacotes e mais pacotes de figurinhas =) Minha avó está longe, beeem longe, e eu estou aqui. Dá muita saudades, muita falta dela....

Bom, é isso.. aproveitem o filme.





ps: os desenhos franceses diferem muito dos desenhos da disney. A quantidade de pequenos detalhes nos filmes europeus é exageradamente grande; é um pouco diferente e talvez algumas pessoas não gostem.

sábado, 5 de setembro de 2009

Como os antigos - post #2

Esse post dá continuidade ao post # 1(neste link)


Oque é bom senso: tudo que se faz ou deixa de fazer pode ser relativizado. Da mesma forma que a morte de um gato pode ser ruim (pra família do gato, por exemplo) ela pode ser boa (e até mesmo motivo de orgulho!) para o cachorro que o mandou pro céu dos gatos. Há de se pensar por este singelo exemplo que definir bom senso é algo impossível. No entanto, como a virtude é um caminho entre os extremos (segundo aristóteles), definiremos, parafraseando este grande pensador, que bom senso é um gps imaginário que guia as pessoas que seguem o caminho da virtude (1X0 pra mim...falei tudo e não falei nada, como prometido =)

Oque são manias: tudo que se faz ou deixa de fazer pode ser considerado uma mania (tentando ser geral o bastante para não falar nada no começo). Manias são coisas que você tem o costume de fazer naturalmente por alguma questão de (mal) hábito e, normalmente, não sabe como e nem conseguirá parar de fazê-las sem levar um milhão de puxões de orelha. Geralmente manias são coisas desnecessárias à tua vida (mania de mascar chicletes, de dormir com meias etc etc), mas vc não pode viver sem elas


Oque é vitalidade: vitalidade é aquilo que, em essência, contraria sua mortalidade. Quanto mais vivaz é algo, mais distante esta coisa parece estar da morte; ou mesmo do seu fim, quando morte não faz sentido. Mas há de se pensar que, com uma definição genérica como essa se possa dizer " que vitalidade este liquidificador, não???!!!!" .... é, vc realmente pode dizer isso, como pode dizer várias outras coisas que satisfaçam esta definição clara e objetiva....vc pode falar o que quiser da forma que quiser...seria até chato eu dizer que não.. bem, a definição é essa, e nos será o bastante.


Tendo atravessado este ambiente sujo e escorregadio que são as definições filosóficas, iremos para os resultados disso tudo (...filosofia também tem teoremas, corolários, escólios)

Faremos um paralelo com a teoria de microeconomia: assumiremos que cada pessoa possui uma função m, que mede sua mania, uma função v, que mede a sua vitalidade, e uma função b, que mede o seu bom senso. Assim, se t é o instante de vida do sujeito, b(t) é a quantidade de bom senso que ele tem naquele momento, m(t) é a quantidade de manias que ele possui etc. Mas como entender m(t) = 2.5? Fácil!! A pessoa tem 2 manias (por exemplo: contar segredos para seus bichos de pelúcia e falar sozinho ) e está a meio passo de desenvolver uma outra mania!
Outro exemplo esclarecedor: se um indivíduo tem v(1) = 10 e v(2) = 3, então ele está com uma vitalidade menor no tempo 2 do que no tempo 1. Mais adiante provaremos que a vitalidade, realmente, só pode decrescer com o passar do tempo.

Aguardem o post # 3

=)

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Como os antigos - post #1

Este post estava ficando muito longo, por isso resolvi dividí-lo em 3 ou 4 posts.


Tentei ler um livro do Kant uma vez que falava sobre física, ciência etc etc. Dá muita diferença ler sobre um mesmo assunto descrito com uma linguagem atual e com uma linguagem mais "arcaica"! De fato, o sr Kant conseguia dificultar tudo!!! Os filósofos que me perdoem , mas é verdade...

Para os leigos no assunto (não que eu não seja, mas...) darei um exemplo baseado na minha parca (ou porca tbm, dá no mesmo ) experiência.

Se uma receita de bolo lida num livro de vó diz

3 ovos;

1 xícara de farinha de trigo;

1 colher de fermento...

...no livro do finado Kant a mesma receita seria descrita por

Pegue o número de apóstolos (acredita-se, segundo o texto de alcebíades, que eram 12) divida por 4 e mesmo este número não tendo sua natureza bem definida (o que é um número?), com ele conte a quantidade de ovos de galinha ...caso vc saiba o que é isso;


Os sumérios inventaram os potes com tampa e a civilização ocidental se apoderou desta idéia, ou melhor dizendo, a reinventou, pois é natural considerar objetos que tenham começo meio e fim... (3 horas depois) .... preencha um pequeno pote do tamanho do coração de um búfalo com farinha moida no moinho, cujo vento veio do leste;


1 colher de fermento da Ilha de chipre (não tive nenhuma idéia pra essa rsrsr)



Sob esta inspiração maravilhosamente objetiva (inclusive a parte que ele divaga sobre o trabalho dos químicos rsrs), eu resolvi postar algo sobre uma idéia que tenho tido há algum tempo (um acordo antes de tudo: a idéia será considerada minha se o post for bom.... será de algum conhecido se vc achar um lixo e se encontrar forçado a clicar no botãozinho do "horrível")

Trata- se do seguinte: à medida que vc cresce, vai acumulando ou perdendo coisas... vc já deve estar pensando em dinheiro, filhos, dívidas, mas não é disso que eu falo, e sim de coisas imateriais: manias, bom senso, entre outras coisas.

Para seguir à risca a inspiração kantiana, terei que definir, sem conseguir explicar de verdade, oque é bom senso e o que são manias. É extremamente doloroso para matemáticos ter que falar de coisas que não fazem sentido (arrrá..isso não é piada), por que geralmente nos sentimos mais à vontade trabalhando com algumas definições e seguindo adiante. Tendo me submetido a este fardo... tá..to indo já, vou parar de enrolar




Aguardem o post #2 =)


ps: que os filósofos que eu conheço não fiquem putos, pfv...