quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Como os antigos - post #1

Este post estava ficando muito longo, por isso resolvi dividí-lo em 3 ou 4 posts.


Tentei ler um livro do Kant uma vez que falava sobre física, ciência etc etc. Dá muita diferença ler sobre um mesmo assunto descrito com uma linguagem atual e com uma linguagem mais "arcaica"! De fato, o sr Kant conseguia dificultar tudo!!! Os filósofos que me perdoem , mas é verdade...

Para os leigos no assunto (não que eu não seja, mas...) darei um exemplo baseado na minha parca (ou porca tbm, dá no mesmo ) experiência.

Se uma receita de bolo lida num livro de vó diz

3 ovos;

1 xícara de farinha de trigo;

1 colher de fermento...

...no livro do finado Kant a mesma receita seria descrita por

Pegue o número de apóstolos (acredita-se, segundo o texto de alcebíades, que eram 12) divida por 4 e mesmo este número não tendo sua natureza bem definida (o que é um número?), com ele conte a quantidade de ovos de galinha ...caso vc saiba o que é isso;


Os sumérios inventaram os potes com tampa e a civilização ocidental se apoderou desta idéia, ou melhor dizendo, a reinventou, pois é natural considerar objetos que tenham começo meio e fim... (3 horas depois) .... preencha um pequeno pote do tamanho do coração de um búfalo com farinha moida no moinho, cujo vento veio do leste;


1 colher de fermento da Ilha de chipre (não tive nenhuma idéia pra essa rsrsr)



Sob esta inspiração maravilhosamente objetiva (inclusive a parte que ele divaga sobre o trabalho dos químicos rsrs), eu resolvi postar algo sobre uma idéia que tenho tido há algum tempo (um acordo antes de tudo: a idéia será considerada minha se o post for bom.... será de algum conhecido se vc achar um lixo e se encontrar forçado a clicar no botãozinho do "horrível")

Trata- se do seguinte: à medida que vc cresce, vai acumulando ou perdendo coisas... vc já deve estar pensando em dinheiro, filhos, dívidas, mas não é disso que eu falo, e sim de coisas imateriais: manias, bom senso, entre outras coisas.

Para seguir à risca a inspiração kantiana, terei que definir, sem conseguir explicar de verdade, oque é bom senso e o que são manias. É extremamente doloroso para matemáticos ter que falar de coisas que não fazem sentido (arrrá..isso não é piada), por que geralmente nos sentimos mais à vontade trabalhando com algumas definições e seguindo adiante. Tendo me submetido a este fardo... tá..to indo já, vou parar de enrolar




Aguardem o post #2 =)


ps: que os filósofos que eu conheço não fiquem putos, pfv...

Um comentário:

Sofia disse...

Não tirando a importancia do Kant para a Filosofia, mas...
Você tem toda a razão quando diz que o Kant gosta de dificultar as coisas...aushaushuah... Li uma vez, em algum prefácio de algum livro sobre ele, que agora não me lembro o nome (sina de quem lê demais) que essa foi a solução dele para que não levassem a filosofia tão a sério...uahsuahsuahushaush....
(não fui eu quem disse ein, li em algum lugar e não estou mentindo! rs...)
Esse cara da dor de cabeça, você se esforça para ler cinco paginas que poderiam se resumidas em uma frase...rsrsr...
curti seu texto, muito criativo..
e deve ser dificil mesmo, area de exatas, lidar com teorias filosóficas (mas há controversas, claro...rsrsr)
T+