sábado, 8 de agosto de 2009

Le lendemain matin....

Incrível... não sei se é o pós ressaca de ontem, mas voltei de uma festa de aniversário hoje me sentindo por demais sóbrio. Festa festinha mesmo, daquelas tranquilas, sem cerveja nem nada (não que, se tivesse, eu beberia, que é isso...=).

Como dizia, voltei de copacabana na maior sobriedade do mundo: o dia estava tão calmo e parado dentro de mim que parecia aqueles dias pós fim de namoro, que o dia pode estar bonito que for lá fora que, dentro de vc ele está morto, nada cresce e nada tem cor... (isso quando vc termina triste. Existe tbm o terminar feliz, onde as coisas ficam coloridas no melhor estilo mágico de Oz e vc não sabe dizer pq não fez isso antes; não é desse caso que eu falo agora). Voltando destes meus "randon walks" literários, a sensação estava bem forte, achei até curioso sentir isso, já que nada do tipo anda acontecendo por aqui.

Aconteceu. Não comigo, mas aconteceu. Fiquei triste: acho muito triste ver uma mulher chorando, me sinto sem poder fazer nada, é como um caminho em que você só desce, nunca acho que vou poder dizer nada que vá ajudar....você se sente

inútil
inerte
imóvel
incapaz
impotente

.......................e parece que um abraço pode durar infinito só pra poder dar conta daquela dor que, mesmo não sendo sua à princípio, acaba se tornando, de alguma maneira.

3 comentários:

talita disse...

Amei, não foi infinito, mas vai ser eterno seu abraço ;) bjssssssssssssssss

Anônimo disse...

sabe que você até escreveu bem esse texto..achei até meio poético...
Você é uma pessoa única, um gênio, um amigo, uma chato que dorme embaixo da mesa...Gostamos muito de você e farei propaganda do seu blog desde que você ponha uma foto nossa de quando fizemos a trilha do Cristo.Se cuida, matemático! Continue pedalando por aí admirando essa ciddae maravilhosa e tire um tempinho para curtir uma praia...a vida foi feita apar ser vivida intensamente.

Rafael de Araújo disse...

Eu copiei do google...

=P