quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Do vôo das aves

Me lembro de quando cheguei ao rio...talvez se alguém me perguntasse naquela época o que significava morar sozinho (estava sozinho no apê de um amigo meu...o cara da lasanha =) eu diria que é acordar de manhã, ir tomar café sozinho na janela de casa, olhar pro céu e então ver um amontoado de pássaros

v
   o
      a
      n
   d
o

em v...ou seja, um amontoado de seres não solitários, que nem voar separadamente voam.

Lembrei disso enquanto ouvia Palestrina ontem, enquanto ia dormir: essa coisa toda de morar sozinho, do café que eu faço pra mim mesmo (como no post das begônias), dos pássaros que passam no céu juntos e nem se dão conta de quanta gente sozinha está abaixo deles... foi um pensamento sobre solidão, mas não de uma pessoa solitária. Uma reflexão, melhor dizendo.

E , pensando num pássaro, acabei por me lembrar de um desenho do sr McLaren. O trabalho do sr Norman McLaren é algo recente pra mim: uma amiga me apresentou a um de seus vídeos e, desde então, eu aprecio o seu trabalho.

Este vídeo é muito bonito. É muito simples: uma musiquinha folclorica que fala de um passarinho que vai perdendo as partes do corpo. Só que no filme do sr McLaren, o passarinho vai ganhando as partes do corpo de novo, só que três partes daquelas... (entenderam? Acho que expliquei mal. Melhor vcs assistirem  rsrs)



=)
Postar um comentário