terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Pop-art matemática?

Grande notícia!!!...saiu na revista piauí de janeiro uma reportagem sobre um matemático brasileiro (que eu conheço só de vista), o Artur Ávila.

E ficou bem legal a reportagem, deu até um dimensão humana ao nosso trabalho! rsrs Bem escrita, feita pelo Jõao Moreira Salles.

Aí fiquei empolgado: será que matemática vai virar uma ciência pop?!!! Imagina: blogs abarrotados de visitantes, ipods com músicas sobre matemática, best-sellers sobre matemática, camisetas interessantes (não aquelas com o símbolo pi desenhado..pqp), quadros, block busters, conversas de butiquim....


.... é, não ia ser mto legal. Acho que não sabemos ser pop ainda. Temos que aprender um pouco com os físicos e com os arquitetos

=P

11 comentários:

Sofia disse...

olá...rs..legal o post...
mas...o que quis dizer com dimensão mais humana do nosso trabalho? uahsuahsuahsuh...
tem algum site disponivel que posso ler a reportagem?
t+

Rafael disse...

Quis usar uma frase de efeito =P Brincadeira rsrsrs Na verdade quis dizer que a reportagem não foi muito técnica, falou muito sobre o lado humano do pesquisador, alguns aspectos do seu cotidiano etc etc


E puts, não sei onde conseguir a reportagem... Qqr coisa eu vejo mais adiante se posso escaneá-la e mando pra quem pedir (isso é crime, não? rsrsrs )

=)

Rafael disse...

Coloquei um tesselation do Escher no post. Acho que matemática já teve seus dias de pop-art; foi um post meio fora do seu tempo, desantenado do mundo

=)

Karla Ribeiro disse...

Físicos são pops? Como assim, meu Deus???

K & Cia. disse...

DEMAIS essa matéria! Dá para entender melhor a matemática como um instrumento da razão, como diz Kant - aí a lógica demonstra-se exata. Entende-se melhor também a sua valorização entre os gregos, que procuravam tanto o Belo como essência. Diria até que os matemáticos são os engenheiros (talvez os filósofos fossem os arquitetos?) da ponte de maior eficácia e beleza entre dois objetos intuitivamente relacionados. Mas pop... como tamanha abstração poderia ser apresentada, falada, representada?

Rafael disse...

Seria uma espécie de abstração da qual só se fala e apresenta, mas não se representa, ao menos formalmente. Acredito que a matemática que se faz hj em dia é dificilmente motivo para artigos em revistas semanais ou coisas do tipo, por que ela é uma ferramenta para várias outras coisas que não a matemática (física, química e economia, por exemplo), mas ela mesma é esta ponte que une caminhos, o que não deixa de ser importante. Mas veja que quando se tem um percurso a fazer, mais importa o ponto final dele do que as milhares de pontes e atalhos pelos quais vc passou, embora sem eles vc não teria chegado onde queria.

A matemática então, como ciência pop :), é aquela esposa do sheik árabe das 1001 noites: ele vê somente sua sombra pela cortina, ouve suas histórias e a imagina linda, mas nunca poderá tocá-la. Acho que pra maioria dos mortais (mesmo matemáticos), a natureza do mundo se expôe desta forma.


Será que eu consegui ser claro? ME avise, qqr coisa, eu tentarei ser mais sucinto.

=)

K & Cia. disse...

Claro como a esposa do sheik árabe - kkk. Aliás, este "conceito" de transcendência é bem de Platão! - Esse foi o cara! - as essências intocáveis que nos transmitem um "clarão", um raio, qdo as apreendemos.
Mas, sério, talvez o ponto final não seja o mais importante - como garantí-lo sem a eficácia do método? Olha, talvez aí esteja a diferença fundamental entre a matemática e as outras ciências: para que questionar o método (a ponte), já que ele se garante, é exato, sem bias? Neste caso é evidente que o ponto final é o mais importante. Já nas ciências naturais (medicina), o método do estudo é o cerne do trabalho científico - ele é que pode ou não garantir o resultado final. Portanto, nas ciências naturais, mais importante o percurso do que o ponto em que se chegou. E neste percurso, acredito que o maior problema está em adequar as ferramentas ao problema. Por exemplo, acredito muito pouco na estatística utilizada nos papers da área médica - a "escadaria" que os matemáticos construiram, sobrepuja a realidade da natureza do corpo humano - prova-se o que quiser, até absurdos!
É, meu caro, talvez seja necessário que o sheik árabe toque enfim sua esposa... Para os médicos, pelo menos - kkk

Betim disse...

Link para notícia:

http://www.revistapiaui.com.br/interna_print.aspx?id=1233&nEdicao=40

Só uma correção: A Matemática já é pop... Num é uma música ilariê da xuxa, mas vamos lá né :-P

Abração,
Roberto

Guilherme Iacovino disse...

Músicas sobre matemática? Best-sellers matemáticos? Conversas de botequim sobre logaritimos? Estás descrevendo o fim do mundo? Que medo!

K & Cia. disse...

...estou achando que pop é o João Moreira Salles kkkk

Rafael disse...

Provável... não tinha percebido este detalhe rsrsrs

=)