domingo, 27 de junho de 2010

O princípio das atenções divididas

 É fato que, ao dividir  cérebro entre o andar e o assobiar, seu corpo não faz direito nem um, nem outro: vc pode cair de lado após dar um chute no próprio pé, ou esquecer-se de respirar enquanto caminha, só por achar que no fundo ndo fundo, não dividiu-se em mais de um para fazer o que achou que conseguiria.

Realmente, nem se anda e nem se assobia: só esperamos, só seguimos adiante (no meu caso, sigo adiante ouvindo os papagaios do meu vizinho cantarem ilarilariê todas as manhãs)

E nessas horas, quando vc pára e pensa há quantas horas deixou de encher os pulmões com um pouquinho de oxigênio, que vc se dá conta de como ele é importante pra vc.

Quero ar (limpo) nos pulmões!!!
amor pra dar e vender,
balas de goma,
linguas de sogra,
matar minha saudades no grito

a saudades que eu já ando sentindo de muita coisa, mesmo antes de sair de casa. Sair de casa, virar a esquina, achar 2 "real" no chão e sair correndo pra comprar um sorvete.

O que eu levo de tudo é a saudades...por mais que não possa preencher todos os momentos que gostaria ao seu lado,  esse tudo- abstrato - é o que ganha minhas lágrimas, ri de mim, me cobre no meio da noite quando tenho frio, pinga remédio no meu nariz quando fico doente, chega de asa-deltas pra jogar bola à terças, me oferece carona nos dias de chuva, me fala do que acontece no outro lado do mundo,  canta baixinho aquela música dos los hermanos....faz bolo, faz cachecol, faz bolo, come meu brownie

Mas qdo me leva, me põe no bolso junto com umas notas velhas de supermercado e umas poucas moedas... saudades saudades, gostaria de te manter um pouco mais longe de mim
Postar um comentário