quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

...e que toda escolha é uma forma de renúncia

Saudações efusivas e cansadas numa quarta feira de cinzas!

Ando um pouco sumido, não? É pessoal, as coisas por aqui estão difíceis: fim de mestrado, fim de carnaval, listas de exercícios, monitorias de análise... mas nem por isso eu deixei de viver!! E de conversar com as pessoas (sobre coisas que não matemática)

A história de hoje é sobre uma discussão que tive sentado a guia da rua, no meio do carnaval. Não sei se é otimismo meu ter discordado de quando me disseram que toda escolha é uma renúncia. É difícil discordar disso, parece até que são coisas equivalentes, que podem até constar num dicionário como um mesmo verbete. Nem sei por que discuto isso aqui, publicamente.. talvez não passe de  uma grande perda de tempo (como várias coisas que eu faço)...vou seguir adiante de qqqr forma. Ainda mais para não perder o hábito =)

O grande ponto das discussões sem sentido é que vc tem que começar elas como se o ponto a ser discutido fosse realmente importante. Esse artifício, mto comum em livros de auto ajuda, espirituais, e de física moderna, é o que torna a coisa toda digna de nota (ou que ao menos dá a impressão de ser relevante  este ponto)


...puts...vou ter que terminar isso depois.


[suspense]
[mais suspense]

[pare de roer as unhas, isso é feio]

=)
Postar um comentário