sábado, 24 de agosto de 2013

... said my name is called disturbance ( adendo)



A parte mais esquisita em ter quase me enredado numa briga por aqui com alguém foi algo que aconteceu depois do intercalço: todo mundo foi perguntar pro cara como ele estava, ninguém veio ver como eu estava. Na hora eu me vi como no final do "Do the right thing", do Spike Lee, no qual as pessoas de um bairro negro em NY se rebelam contra o dono de uma pizzaria ( pelo oque me lembre), ao que se segue um saque, quebra-quebra etc.






Me senti como aquele chinês dono da loja que está prestes a ser saqueada: por um  momento pensei na possibilidade daquelas pessoas se juntarem contra mim; nunca me senti tão sozinho, tão "gringo" como antes. Por sorte, nada aconteceu.

Por outro lado, diferentemente, não estou aqui esparando que esta pátria me adote; I'm not american... e nunca vou ser... embora eu seja igual a todo mundo.

Postar um comentário