sexta-feira, 13 de abril de 2012

Da deterioração das amizades (parábola sobre um velho crocodilo)

Às vezes perdemos a noção de como machucamos os que estão próximos da gente: falamos alto, berramos qualquer coisa, praguejamos... dizemos um monte de "verdades"... para depois resumirmos nosso arrependimento com um "desculpa".

Não que as desculpas não sejam úteis: um pedido como estes, quando sincero, é importantíssimo. No entanto, mais importante que baixar a cabeça e demonstrar arrependimento, é aprender com os erros e saber o quanto palavras e atos podem machucar os outros (...e então não repetir tal coisa).

Um tanto auto-ajuda o post de hoje, né? hahaha =) Estou postando por que vi um filminho meio-feio- 1/2-bonito-meio-bobo-1/2-intrigante do Koji Yamamura, chamado "The old Crocodile". Logo no começo achei um tanto de mau gosto... bem de mau gosto....feio como a cidade de São Paulo. Inexplicadamente, depois de algum tempo tentando entender uma possível mensagem por detrás da coisa toda, eu achei interessante ( sim, o mesmo acontece com a cidade que citei). Acho que fazemos muito isso que o desenho mostra: com nossos pais, com namorada(o)s, amigo(a)s. Se existirá uma maneira de transcender essas mazelas que levamos conosco e, como resíduo, obter algo mais "puro"  das relações entre as pessoas - não estou sendo piegas... nem usando isso num sentido "ursinhos carinhosos" - eu não sei... mas que o desenho me deu bastante a pensar, isso deu.

Reflitam





"The old Crocodile", de Koji Yamamura



ps: não tenho postado mto ultimamente pq estou numa de mudar de casa, terminar o semestre, convencer meu orientador de que eu sei um mínimo de matemática, passar no meu exame de qualificação e tentar fingir que aprendo um mínimo sobre von Neumann algebras pra ser aprovado num curso (que já foi legal, mas agora entrou num ponto que considero não útil). Mas não fiquem tristes (!!!): vcs não estão perdendo lá grande coisa =)
Postar um comentário