segunda-feira, 24 de maio de 2010

Resoluções da identidade (Ou "outras palavras")

Hoje levantei da cama pensando em álgebras de von Neumann. Tomei o café da manhã pensando em operadores simétricos. Durante o trajeto até a fac, em espectros essenciais. Durante o almoço, em resoluções da identidade e teoremas espectrais.... por uma semana tem sido isso. Momento muito tenso e delicado da minha existência: parece que se alguém puxar um fio tudo cai, tudo foge de mim, tudo me escapa e volta a nascer num único ponto.

Mas no último sábado foi diferente: eu estava sentado, esperando pra almoçar num lugar muito tosco..muito mesmo. Pedi meu almoço e fiquei lá, sentado de braços cruzados. Paciência pouca e demora muita, coloquei os braços ainda cruzados sobre a mesa e deitei a cabeça no braço direito. Senti então um cheiro muito bom... a manga da minha camiseta estava com um cheiro muito gostoso, mas eu não sabia identificar o que era.

Fiquei lá, fungando na manga da camiseta e tentando descobrir o que era por um bom tempo. Algumas pessoas passaram e olharam meio curiosas... mesmo com essa reprimenda social, persisti na minha busca... listava palavras e mais palavras na minha cabeça pensando em qual correspondia àquele cheiro de manga de camiseta.

Então me lembrei das palavras que eu mais gosto... na verdade não são "as palavras", pq elas estão sempre mudando; hoje eu gosto delas e amanhã.. amanhã não sei, posso achá-las palavras normais, reles combinação de letras com algum sentido... aubergine é uma delas. Eu vivia dizendo à minha professora de francês que queria ter uma filha só pra poder colocar o nome de Aubergine. Imagina, na escola

"Mademoiselle Aubergine, es-tu présent?"

Mas aubergine ia ser triste....e precisaria de muita terapia à partir do momento que soubesse que seu nome não passa de berinjela em francês (embora isso não tenha me disssuadido completamente da idéia ).

A outra é toucinho. Acho uma palavra tão carinhosa.... eu sinceramente gostaria de chamar uma namorada de toucinho...


acho que é por que rima com focinho,
que rima com carinho,
que rima com cofrinho,

que rima com dançar um samba-rave sozinho

mas tem uma conotação negativa também.... é, nenhuma namorada entenderia e eu seria o excêntrico da história toda. Mas não deixa de ser uma palavra simpática. Ahhh se eu tivesse um porco..andaria com o toucinho pela praia de ipanema, todas as pessoas iam querer passar a mão nele, ele ia brincar no parquinho com as crianças... mas acho que o mundo não está preparado pra isso (se bem que eu sei de uma mulher em São Paulo que cria um porco num apartamento, e isso num puta bairro rico )

zumbido também, é uma palavra gostosa de se ouvir.. não que seja boa, mas esse que onomatopéico (é isso mesmo?) do zuuuummm é muito interessante.

Isso tudo se passou em  alguns minutos, talvez até menos...

... então chegou meu almoço.

Parei de tentar descobrir do que era o cheiro,

e eu voltei a pensar em álgebras de Banach e noutras coisas do tipo



=0



ps: ao menos até quinta feira, esta anda sendo minha vida
ps2: onde se compra um porco doméstico?
Postar um comentário