segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Filosofia se aprende em casa - lição #1

O domingo é um dia sagrado pra muitos povos. Não faço idéia do porque ...talvez pq é um dia que ninguém faz nada. E não fazer nada é sagrado... ninguém pode lhe negar este direito.

O domingo.. engraçado que domingo é domingo em espanhol, oque não deixa de ser curioso... mas bom, o domingo também é um dia de reflexões profundas e interessantes, como a que tive nesta manhã  e que vcs, curiosos que já devem estar, logo vão saber.

Dia doméstico e, como tal, lá fui eu lavar roupas. No meio do labor, enquanto colocava as roupas na máquina e as virava e desvirava do avesso, comecei a pensar se era apropriado mesmo (des)virar a roupa do avesso, por que talvez não adiantasse de porra nenhuma. Mas aí, de maneira abrupta e contundente, comecei a pensar se o mais importante era virar do avesso para que mais limpa ficasse a parte da roupa que me toca o corpo, ou se mais limpa deveria ficar a parte da roupa que os outros vêem...

Não soube responder... mas fiquei virando do avesso quem não estava do avesso, e virando pro lado normal ( o avesso do avesso) quem estava do avesso... sem saber se o que eu fazia era o mais apropriado ou não.

Acho incrível como um momento íntimo como este pode gerar sentimentos e pensamentos tãããao intensos  e interessantes =P  oque me faz lembrar de um desenho que eu via quando era criança, de um menino que perdia o leão de pelúcia dele na máquina de lavar ( na verdade a mãe dele sacaneia o garoto e manda o leão pra lavanderia... eu sei como é isso, pq minha mãe , qdo morava com ela, pegava meu tênis escondido pra lavar. Aquele tênis perfeito que eu tinha demorado meses sujando nas ruas de São Paulo pra deixá-lo com cara de paulistano maltratado e faminto que volta do trabalho no metrô lotado). Engraçado que eu lembro da minha irmã falando desta série, por que ela podia ver mas eu não - eu estudava à tarde e ela de manhã.

Até hoje esta é uma das séries que eu mais curti: a música, do Hélio Skinirasiahsd ( não sei o sobrenome dele) é muito boa. Pro sinal, ele é o mesmo cara que compos várias outras músicas que ficaram martelando nas nossas cabeças durante a infância).  Os detalhes, a lavanderia, o taxista que falava inglês, a mentira que a criança conta... tudo isso. Espero que alguém tenha paciência de assistir...se bem que a gente vai ficando velho e ficando meio besta.

Acho que é um princípio de crise de meia idade (1/4 de século é chão, fala sério? =)














afff...muita coisa, né?  =P... se vc chegou até aqui vc é um vencedor (aprendi isso na escola, com os americanos hahahaha =)





Postar um comentário