segunda-feira, 24 de julho de 2017

Todo tempo do mundo (versão paulista)

Em São Paulo
Meu esforço desmesurado em tentar passar tempo debaixo da sombra da árvore materna
A consciência clara de que o tempo passou 
e tem passado.
Ampulheta de minutos, 
segundos, 
instantes

Folhas levadas pelo vento leve, 
frutos não muitos, 
pouco doces
Flores que caem sem que eu veja, 
mas que sempre estão lá pra florir meu verão 
e colorir o chão nos quais meus pés brincam no inverno

Carrego comigo  todo o tempo

A vontade de voltar
Seria pra ficar perto daqueles que amo?
O tchau que ficou no Rio, 
daqueles que se despedem pra povoar novos mundos
Os tchaus que recebo em São Paulo, 
daqueles que me esperam de braços abertos

A saudade


Postar um comentário