sábado, 22 de fevereiro de 2014

Petúnia fugiu de casa

Callejón de la luna by Vicente Amigo on Grooveshark


[Play]
[Lugar árido]
[Ruas empoeiradas e sujas de terra]


Petúnia fugiu de casa.

Não havia jantar: foi quando os filhos se deram conta de que não havia alguém para alimentá-los. O marido, por ter dormido no sofá,  só se deu conta na manhã seguinte, quando fora tomar o café da manhã, pra depois receber seu costumeiro "bom trabalho" e um pacote com seu almoço. Petúnia havia sumido.. embora já estivesse ausente há muito.  

Petúnia nunca foi de dizer muita coisa.

Há um tempo sua cabeça entrou em parafuso, suas conexões aparentemente deixaram de funcionar: lhe faltava o carisma de sempre, seus amigos sentiam faltar nela o vigor "daquela Petúnia da época da faculdade". Às vezes sucediam-se breves tilts, como se a cabeça entrasse em choque.  Procurava o amor de todos, algo que lhe colocasse de volta nos eixos. Seria muito buscar o suporte dos amigos, seria pedir pouco o suporte da família? Era esparar demais, depois de todo esse tempo... amor negado, a cabeça desajustada, descabelada de vaidade, desafinada.... não conseguia pensar claramente, sua voz saia distorcida, alterada... (isso quando saía)

Sozinha e esquecida, Petúnia colocou alguns poucos pertences numa sacola e saiu de casa pra procurar uma nova vida.. e para nunca mais regressar.

Postar um comentário